INSPIRAÇÃO

Um sentimento mal acomodado na mente provocou a inspiração para a criação da Escola de Associativismo. Por que havia recuado e não encarado a luta como sempre fiz ? Razoes cristalinas indicavam a correção da decisão mas o espirito de luta relutava em aceitar. Estava deixando uma posição de diretor numa associação nacional de alta relevância. Precisava encontrar um outro campo de batalha para difundir meu sonho e praticar minha crença no aperfeiçoamento do associativismo.

 

Uma vasta experiência de mais de 40 anos em sindicatos, federações e confederação, em associações nacionais, estaduais e municipais, em câmaras e institutos, precisava ser compartilhada. E com certeza poderia trabalhar para que milhares de outros atores, como eu, também pudessem participar deste compartilhamento. O caminho de cima para baixo já havia sido explorado. E o caminho de baixo para cima ainda não. E a ideia da Escola de Associativismo apareceu. Uma escola para todos os envolvidos no associativismo mas, em especial, prioritariamente, para aqueles que estão iniciando esta jornada em associações. Estávamos em novembro de 2013.

 

Superados alguns mal-entendidos, receios, a ideia foi transformada em um projeto e a estratégia de convencimento foi alterada. Por ironia, decidimos tratar o tema de cima para baixo. Quase um ano após, foi realizada uma apresentação para o Presidente Marcos Guerra da FINDES e para o Vice Presidente para Assuntos do Centro de Apoio aos Sindicatos da FINDES Egidio Malanquine, que já conhecia a ideia. Outra apresentação foi realizada para todos os presidentes de sindicatos filiados a FINDES. Foi garantido finalmente pelo Presidente da FINDES a provisão de um quarto dos recursos previstos para a fase inicial do projeto e os trabalhos começaram em maio de 2015. Uma semente está sendo lançada, acompanhada de uma esperança muito grande de que seja agente de grandes transformações no associativismo de uma maneira ampla, ambiciosa ao longo do tempo.

 

Estamos na estrutura do IEL-Instituto Euvaldo Lodi, unidade de produção do Sistema FINDES responsável também pela capacitação empresarial e cujo Vice Presidente para Assuntos é Aristoteles Passos Costa Neto. Temos um Conselho Gestor para avaliação e decisão dos temas mais relevantes da escola.

 

O inicio da caminhada está feito. Temos um longo caminho pela frente, bem sabemos, mas o que motiva, o que estimula, é a convicção que neste caminho vamos encontrar inúmeras oportunidades para transformar para melhor o associativismo, ferramenta indispensável para uma sociedade organizada forte, condição fundamental para a existência de um estado democrático eficiente na geração de riqueza e bem estar para todos.

Sergio Rogerio de Castro
Diretor da Escola de Associativismo

Embora todos em nosso campo se esforcem para continuar cuidando dos pacientes, dos outros e das famílias em nossas comunidades, os líderes da área de saúde, em particular, reconhecem claramente os desafios sem precedentes que enfrentamos ao tentar desempenhar nossas responsabilidades da maneira mais eficaz possível.

Para ajudar a apoiar nosso país, não podemos pensar em um momento melhor para mobilizar ainda mais toda a força de nosso conhecimento coletivo. Para ajudar os profissionais de saúde a gerenciar melhor a natureza em evolução do COVID-19, as associações listadas aqui estão colaborando estreitamente para fornecer à área da saúde os melhores recursos disponíveis. Incentivamos a comunidade de saúde a visitar os sites listados e a usar as informações disponíveis gratuitamente. Nossas associações atualizarão esses recursos à medida que aprendemos mais. Ao trabalharmos juntos, todos estaremos melhor equipados para melhorar a saúde do país.

“Nossas associações agradecem aos membros da comunidade de saúde pelos serviços que eles e suas organizações estão fornecendo. Reconhecemos e apreciamos o quão difícil é essa situação e estamos comprometidos em apoiá-los durante as próximas semanas e meses”.

Associação Americana de Liderança Médica (AAPL)

Colégio Americano de Executivos de Saúde (ACHE)

Associação Americana de Grupos Médicos (AMGA)

Sociedade Americana de Farmacêuticos do Sistema de Saúde (ASHP)

Faculdade de Executivos em Gerenciamento de Informações em Saúde (CHIME)

Associação de Gerenciamento Financeiro de Assistência Médica (HFMA)

Associação de Gerenciamento de Grupo Médico (MGMA)

Associação Nacional de Qualidade em Saúde (NAHQ)

Web TV Sardegna Italia

O conselho municipal de Alghero decidiu ontem de manhã aprovar um memorando de entendimento com as associações voluntárias para a alocação de contribuições.

“Esta é uma primeira parcela de apoio econômico às atividades que estão ocorrendo e que vêem as Associações de Alghero e Caritas em campo para ações de apoio a pessoas em dificuldades devido à emergência em andamento”, são estas as palavras do prefeito Mario Conoci.

As atividades dizem respeito aos setores mais fracos da população: idosos, doentes e imunodeprimidos. As associações envolvidas são a Confraria da Misericórdia, a Associação de Voluntários Polisoccorso, Alghero Soccorso Onlus, The Guardian Angels Alghero, Compagnia Barracellare del Comune e Radio CB Alghero.

Madrid, 31 mar (EFE).- Un total de 36 federaciones y asociaciones vecinales de todo el país han solicitado el cierre de las viviendas de uso turístico durante la vigencia del estado de alarma porque los portales en los que se alquilan siguen permitiendo “hacer reservas” en pleno periodo de confinamiento mientras los hoteles están cerrados.

En un comunicado difundido por la Federación Regional de Asociaciones Vecinales de Madrid (FRAVM), que se adhiere a la solicitud junto a otras como la Confederación Estatal de Asociaciones de Vecinos (CEAV), se critica la “decisión irresponsable” de declarar esenciales determinados alojamientos, pues consideran que la nota del Ministerio de Transportes, Movilidad y Agenda Urbana “abre la puerta a que las viviendas turísticas sigan funcionando”. .

“La autorización no tiene en cuenta que algunos de los alojamientos turísticos autorizados son viviendas de uso residencial en comunidades de vecinos reconvertidas en pisos turísticos. Ni que, junto a muchas pensiones y hostales, carecen de acceso independiente, compartiendo en viviendas de uso residencial el acceso a elementos comunes junto al resto del vecindario”, asevera la Fravm.

Solo basta “una comprobación rutinaria para verificar que portales como Airbnb permiten realizar reservas en pleno confinamiento, invitando así a incumplir las restricciones del estado de alarma y dar cabida a actividades clandestinas o delictivas en ellos”, apostilla el comunicado.

Por todo ello, afean que “en plena crisis sanitaria” por el coronavirus “los vecinos y vecinas que conviven con las viviendas turísticas tienen que sumar, a la legítima preocupación general que comparten con todos los españoles, una más particular provocada por el funcionamiento continuado” de estos alojamientos “eludiendo todo control en pleno estado de alarma”.

“Entendemos y aplaudimos el uso de los hoteles y similares, edificios dotados con instalaciones y toda clase de servicios (…)o para asistir a las personas que alojan y protocolos de control y desinfección, pero esto no sucede en las viviendas turísticas que comparten espacio y zonas comunes con hogares”, agregan.

Piden que se suprima como servicio esencial cualquier modalidad de alojamiento turístico -piso turístico, hostal o pensión, enumeran- que comparta elementos o zonas comunes entre residentes y usuarios de alojamientos turísticos.

Además, quieren que se bloquee “el acceso de los usuarios y usuarias a portales como Airbnb, Niunba, Booking y demás portales web dedicados a intermediar en el alojamiento turístico de viviendas” mientras que dure el aislamiento.

El alcalde de Madrid, José Luis Martínez-Almeida ha señalado que solo pueden abrir las “viviendas turísticas legalmente autorizadas” e inscritas en el registro, por lo que pide que si estos alojamientos no siguen las normas y protocolos se les denuncie para poder acometer inspecciones. EFE

GauchaZH
SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS)

A União dos Moradores e Comércio de Paraisópolis está organizando uma força-tarefa para fazer testes de Covid-19 em todos os moradores da comunidade.

De acordo com o presidente da associação, Gilson Rodrigues, cinco casos da doença já foram confirmados naquele local, que tem aproximadamente 100 mil moradores. A ação se dá em parceria com o projeto Florescer Brasil e com o laboratório Hilab.

“A ideia é fazer os testes em todos os moradores de Paraisópolis e depois estender para outras comunidades do G10 das Favelas [grupo que reúne as maiores comunidades do Brasil]. A organização está buscando recursos para viabilizar que 100% da população seja testada”, afirma Rodrigues.

Cada Minuto 28/03/2020  Maceió

A proposta apresentada pela Associação Comercial ao governo do estado foi de que  as vendas no comércio varejista sejam restabelecidas gradativamente, conforme as orientações dadas pelas entidades médicas e a Organização Mundial de Saúde (OMS) diante do monitoramento da propagação do novo coronavírus.

A data sugerida foi a partir do dia 07 de abril. “O que somente poderá   ser  concebido    mediante a     confirmação    de   controle   da      pandemia, evidenciada pelos indicadores que continuarão sendo observados  nos  dias  que  seguem.  E  ainda,  que  tal  retorno  se  dê  mediante  critérios e  regras  a serem estabelecidos     pelas    referidas   autoridades,  a exemplo a horário reduzida e observações irrestrita às medidas de higiene e prevenção ao combate da pandemia”, explica trecho da nota emitida pela entidade.

Todos os setores econômicos começaram a pressionar o governo do estado diante da possibilidade da renovação do decreto de emergência, que determina o isolamento social. Com o comércio fechado, os empresários mostram um somatório de prejuízos e a queda na arrecadação.

A Associação Comercial reafirmou que segue diálogo com o governo e prefeitura para tentar uma melhor solução. “A Associação Comercial reafirma apoio as medidas tomas pelos Governos Estadual e Municipal, posicionando-se contrariamente a manifestações, aglomerações, carreatas e similares que, inclusive, neste momento, contrariem as recomendações da OMS e do Ministério da Saúde”, finalizou.

Publicado em: 30/03/2020     Diário de Pernambuco

A expansão do coronavírus fez crescer também a onda de solidariedade. No Coque, a Associação dos Amigos da Vila no Papelão está organizando uma campanha para doação de alimentos e material de higiene pessoal e assim conseguir manter as condições mínimas para o enfrentamento da pandemia do Covid-19. A entidade adotou um esquema para agir de várias formas no bairro.

Uma das alternativas encontrada pela associação foi disponibilizar uma conta para receber doações em dinheiro e criar uma parceria com um supermercado local. Os valores serão divididos igualmente para, pelo menos no inicio, as famílias contempladas pela campanha. Cada família terá direito a um recibo de mesmo valor – uma espécie de linha de crédito -, que deve ser apresentado no mercado junto à identidade do responsável pela renda familiar para efetuar a compra.

Dessa forma, além de ajudar as famílias que passam por dificuldades, principalmente neste período de isolamento social, a entidade também contribui com a economia local. Outro fator que colaborou para a adoção do esquema foi a recomendação para evitar contato físico, por isto as doações não são dos itens.

A associação atende, atualmente, cerca de 50 famílias e tem como intuito ampliar o alcance do trabalho. Além disso, a depender da quantia arrecadada, é possível que os valores sejam repassados às famílias com maior frequência.

Nosso multiplicador de conteúdo de Santa Catarina, Leonardo Costa, por solicitação do sindicato, ministrará um curso com conteúdo produzido pela escola para os associados e dirigentes daquela associação.

Seguindo orientação do Governo do Estado do ES, todas as atividades coletivas da EA Escola de Associativismo forma adiadas. Serão reprogramadas após a confirmação das autoridades de saúde do estado de que o surto encerrou o seu ciclo. As programadas reuniões dos Comitês e do Conselho de Gestão serão virtuais e a nossa primeira AGO-Assembleia Geral Ordinária será provavelmente adiada.

Turma cheia, muita interação da multiplicadora Mara Stocco com os alunos do curso que abordou o tema “AUMENTANDO O NÚMERO DE ASSOCIADOS”. Vários depoimentos de satisfação dos alunos motivam a escola a prosseguir no seu caminha a dar mais uma escalada na oferta de cursos.

Iniciadas as gravações do décimo quarto curso da EA com a abordagem do importantíssimo tema da representatividade nas associações. Todos sabemos como as associações perdem importância por serem tolerantes com a permanência de associados e dirigentes voluntários que não têm mais representatividade porque não são mais sócios ou executivos de empresas, por não mais morarem no bairro, porque nunca comparecem às reuniões da associação de suporte ao hospital, dentre outras situações. Os associativistas convidados para serem colaboradores de conteúdo foram: Luiz Cordeiro, diretor da Associação Vidas que apoia hospitais filantrópicos; José Carlos Bergamin, presidente do Sindicato dos Lojistas do Comércio de Vila Velha e Gilmar Nogueira, presidente da Associação dos Moradores de Jardim Limoeiro Serra/ES 2013/2019.

A direção da escola decidiu divulgar o volume 3 da Serie 1 (MD01 a MD10) de cursos da escola, pronta desde julho de 2019. O lançamento previsto para acontecer em Florianópolis ou Joinville, desde aquela ocasião, depende de programação que não depende da escola. Não podíamos continuar privando os nossos internautas e nossos alunos de cursos presencias de conteúdo tão relevante, colhido com valorosos associativistas daquele estado desde novembro de 2018. Está no site e já será utilizado também nas aulas presenciais.

MICHAEL HICKEY / 4 DE MARÇO DE 2020   ASSOCIATION NOW

Encontre novas maneiras de alcançar membros em potencial. Além disso: Estabeleça uma cultura de associação que promova a comunidade e a colaboração.

O aumento de associados é uma prioridade para a maioria das associações. E embora atrair novos membros seja um desafio, há várias maneiras de melhorar seu jogo de recrutamento, escreve Callie Walker, da MemberClicks.

Isso ajuda a otimizar sua presença nas mídias sociais. Seus feeds devem estar ativos e incluir uma descrição da sua organização, informações de contato e links importantes.

“Pense em um possível cliente que termina na sua página do Facebook antes de visitar o site da sua organização. Você está apresentando sua organização da maneira que gostaria? Eles podem acessar todas as informações de que precisam (principalmente para participar) naquele momento? ” Walker escreve.

Seus membros existentes também podem ajudar em seus esforços de recrutamento. “Você sabe quem conhece melhor as outras pessoas no setor da sua organização? Seus membros! Walker diz. “Eles trabalham com eles dia após dia; eles são amigos deles. ” Crie um programa de indicação de membros que incentive os membros atuais a atrair novas pessoas.

3 de março de 2020     ASAE/ASSOCIATION NOW
Por: Arundati Dandapani

 

As associações precisam de uma estratégia de associação para recrutamento, retenção e engajamento. Esteja você atualizando sua estratégia ou criando uma nova a partir do zero, sete perguntas podem ajudar você a se concentrar no crescimento da associação.

 

É difícil sobreviver como uma associação em qualquer cenário econômico – bom ou ruim. Mesmo em uma economia robusta, as associações enfrentam muitos desafios, e é por isso que é importante ter uma estratégia de associação que guie o crescimento.

 

Globalmente, as associações operam em um ambiente de constante mudança social, instabilidade e fragmentação. Portanto, quando chegar a hora de reexaminar sua estratégia de associação, você precisará analisar as forças perturbadoras que podem estar afetando seus membros. Aqui estão sete perguntas críticas a serem feitas durante o desenvolvimento de uma estratégia de associação de longo prazo para garantir que você possa continuar atendendo às necessidades dos membros.

 

“Qual é a sua “história de valor?” – Os associados geralmente são unidos por um interesse, profissão ou setor, e ainda assim as associações têm muitos tipos diferentes de membros que se identificam com grupos de profissionais, demográficos, geográficos ou geracionais. As associações inteligentes não apenas se concentram no valor que a associação oferece – a “proposta de valor” – mas também conversam com os segmentos dos membros de maneiras únicas e pessoais.

 

“Como você está juntando os associados constituintes em suas jornadas aspiracionais e encontrando-os onde eles estão na vida?” – As associações estão preparadas para o sucesso se comunicarem “histórias de valor” que falam da solução individualizada de problemas e inovação em escala.

 

“Você está ajudando a próxima geração de associados ?” – Você está dando aos jovens membros um caminho para empregos, networking, prêmios e reconhecimento e oportunidades de liderança? As associações precisam estabelecer o relacionamento correto com instituições acadêmicas e parceiros da comunidade para apoiar o progresso de novos e diversos profissionais. Os líderes da associação devem incluir e capacitar a próxima geração de membros.

 

As associações estão preparadas para o sucesso se comunicarem “histórias de valor” que falem em solução de problemas e inovação.

A tecnologia é intuitiva e fácil de usar? Muitas associações possuem sistemas de tecnologia volumosos que prejudicam a experiência dos membros. Reflita sobre questões como: Estamos usando a tecnologia de maneira eficaz para resolver os problemas dos membros? O que estamos fazendo para acompanhar as tendências tecnológicas? E que parcerias estamos construindo para alavancar a inovação tecnológica? Conteúdo interativo, aprimoramentos virtuais, plugins ou discussões e registros de eventos em plataformas sociais e de pagamento amigáveis ​​e seguras são algumas maneiras de garantir a confiança dos membros.

 

“Estamos fazendo o suficiente para promover a colaboração?” – As associações que estão firmemente construindo coalizões e parcerias também sabem como compartilhar e reunir recursos de maneira eficaz, economizando tempo e dinheiro para os membros. Em 2020, considere se outras organizações e a mídia podem ajudar seus membros a ter sucesso. Nesse caso, explore maneiras de formar alianças em vez de trabalhar no vácuo ou contra a concorrência.

 

“Você está criando relacionamentos reais e duradouros?” – O idioma que falamos molda a narrativa da associação e pode determinar se um membro fica ou não. Libere suas comunicações de arremessos de vendas, entenda o que importa para os membros que participam de eventos presenciais e encontre novos caminhos para envolver os membros no diálogo face a face. Essas etapas adicionarão variedade aos compromissos dos membros e permitirão que você aja de maneiras mais humanas, ajudando a consolidar a lealdade, a confiança e os relacionamentos duradouros.

 

“Você é centrado nos membros?” – Os líderes visionários da associação continuam focados na criação de novo valor para os membros – benefícios e serviços alinhados às necessidades dos membros. Uma associação disciplinada centrada em membros pode achar que precisa abandonar produtos, programas ou serviços que não funcionam há anos e seus líderes envolverão os membros em conversas para criar melhores resultados.

 

“Estamos presos a estruturas não compatíveis? – Os líderes da associação devem ser ágeis e preparados para o futuro. Isso inclui estar disposto a assumir uma quantidade saudável de riscos, a fim de desenvolver soluções inovadoras para problemas comuns dos membros. Por exemplo, a tentação de ser uma marca “sincera” versus uma “empolgante” pode estar em desacordo com as motivações de uma associação que está sedenta de mudanças. Sempre se envolva nos métodos de pesquisa apropriados para entender o que está motivando as necessidades dos membros e o que permitirá que as associações criem sistemas de apoio que ajudem seus membros a prosperar.