[NOVO] La Asociación de Panaderías y Pastelerías de la provincia de Ciudad Real / España (Afexppan) pone en valor los dulces artesanos de Semana Santa

 

La Asociación de Panaderías y Pastelerías de la provincia de Ciudad Real (Afexppan) pone en valor todos los dulces artesanos y tradicionales de nuestra provincia para esta Semana Santa. Una festividad religiosa donde no pueden faltar los pestiños, enaceitados, pastafloras, nuégados, torrijas, barquillos, rosquillos, flores, huevos moles, arroz con duz y castañas, tortillas de rodilla, gachuelas o masilla, resequillas, entre muchos otros, que elaboran con cariño y mucha dedicación todos nuestros pasteleros y panaderos.

Un trabajo de elaboración laborioso que llevan a cabo sus socios y socias día a día durante décadas para brindar a la sociedad de estos auténticos y deliciosos manjares. Dulces artesanos, con ingredientes de temporada y, sobre todo, naturales, puesto que no son envasados. El presidente de Afexppan, Rafael Lorca, reivindica que “estos productos tenemos que comprarlos en las panaderías y pastelerías de nuestros pueblos que trabajan con mucho amor y con ingredientes naturales, que hace que sean dulces únicos”.

FOTOGRAFIA: GCS   Ponto Final Macau China

 

Num discurso a propósito da celebração do 37.º aniversário da União Geral das Associações dos Moradores de Macau, o Chefe do Executivo deixou elogios aos trabalhadores e voluntários dos serviços comunitários e, em particular, à associação aniversariante.

Ho Iat Seng começou por assinalar que a associação “tem vindo a manter a união entre os moradores dos bairros e a colaborar empenhadamente com o Governo da RAEM na implementação das acções de prevenção epidémica, especialmente na prestação de diversos serviços comunitários, com repercussões benéficas na sociedade, o que lhe tem granjeado o reconhecimento e elogio da sociedade”.

“Aproveito, ainda, esta ocasião para expressar também os mais sinceros agradecimentos a todos os trabalhadores e voluntários dos serviços comunitários que, nos seus postos de trabalho, combatem com todo o seu empenho a pandemia, ao serviço da sociedade”, frisou o Chefe do Executivo.

O líder do Governo reiterou que será impulsionado o desenvolvimento diversificado da economia, será promovida a construção da zona de cooperação entre Guangdong e Macau em Hengqin, e Macau vai participar no desenvolvimento de alta qualidade da Grande Baía. “Paralelamente, iremos executar efectivamente as acções regulares de prevenção da pandemia, criando condições favoráveis para o regresso gradual da sociedade e da economia à normalidade”, acrescentou.

Ho Iat Seng sublinhou que a União Geral das Associações dos Moradores de Macau tem “estado ao serviço da população, de forma pragmática e em prol do seu bem-estar, desempenhando um papel fundamental na gestão e prestação de serviços à camada social de base” e “contribuído incansavelmente para a formação de quadros qualificados, orientados pelo amor pela Pátria e por Macau, e para a sua participação nos assuntos políticos a nível local e nacional”.

“Estamos convictos que a União Geral continuará, com um espírito inovador e empreendedor, ao serviço da comunidade, e, atenta ao bem-estar da população, irá proporcionar serviços mais específicos e diferenciados, dando novos contributos para a prosperidade e estabilidade de Macau”, concluiu.

A.V.


Fonte: Ponto Final

 

6 de março de 2020 marca o início do mandato da Direção da Associação Empresarial de Penafiel (AEP) para o triénio 2020-2022, 4 dias após a deteção do primeiro caso COVID-19 em Portugal.

Longe estaríamos de imaginar a alteração do paradigma associativo que nos teríamos de adaptar.

12 de março de 2020 tomaríamos a decisão de encerramento das nossas atividades de formação profissional e atendimento ao público de forma independente e sem autorizações de órgãos superiores.

19 de março de 2020 é decretado o confinamento geral.

Este mandato é marcado por este acontecimento que veio alterar a nossa normalidade.

Numa fase em que o associativismo tem vindo a perder importância e influência foi para nós um enorme desafio liderar esta instituição centenária numa das fases de maior crise.

O desafio é enorme pois, hoje, o associativismo empresarial é vivido do carolismo (dedicação extremada e altruísta a uma obra, causa, ideia) dos seus dirigentes. Na fase em que também as nossas empresas precisaram de nós, estivemos a lutar e a pensar nos outros.

O associativismo empresarial tem desempenhado papéis diferentes ao longo dos tempos, passando as associações de instituições limitadas a serviços de apoio administrativo/técnico e de cobrança de quotas aos associados, para instituições de maior complexidade e de maior representatividade dos seus associados.

Foi este o caminho que a Associação soube traçar nos últimos anos, de forma a alcançar o grau de confiança e reconhecimento público que tem.

Somos uma das maiores associações a nível regional, contando com uma equipa de 20 colaboradores distribuídos por cinco departamentos especializados. Contamos ainda com cerca de meia centena de outros subcontratados no desenvolvimento dos mais diversos projetos. Sem o envolvimento e dedicação de cada um destes colaboradores nunca seria possível atingir os objetivos a que nos propusemos.

Mantendo o orgulho do reconhecimento e credibilidade da (AEP), o futuro será encarado como um estímulo no sentido de manter a dinâmica alcançada e de superar os desafios futuros.

Tal como referi anteriormente, a razão principal da associação são os seus associados. E deles temos a certeza que reconhecem e contam com o nosso profissionalismo, dedicação, dinamismo e empenho desta Direção que liderei no último ano.

Ao nível da representatividade dos nossos associados durante o último ano foram direcionadas Cartas Abertas ao Governo e Município de Penafiel na exposição e relato dos momentos que todos atravessaram.

Durante este ano pandémico promovemos webinars, sessões de esclarecimento e diversas reuniões presenciais e online por forma a esclarecer e apoiar os nossos associados na melhor tomada de decisão nos seus negócios.

Num ano que cancelámos todos os nossos eventos fomos audazes ao ponto de conseguirmos criar de um novo evento – “Petiscando” – que muito dinamizou e promoveu a gastronomia e os estabelecimentos da restauração e similares do concelho junto da população. Este evento veio para ficar e reveste para nós um orgulho imenso em ajudar um setor fortemente afetado por esta pandemia.

Também por termos verificado junto deste sector a dificuldade em conciliar confeção e distribuição em regime de entrega ao domicílio, desfiámos a Uber eats a abrir a sua operação no nosso concelho, para que os empresários se focassem na sua atividade de confeção das refeições, permitindo-lhes manter alguma receita do seu negócio.

Nas atividades de Natal limitámos a nossa atuação à campanha de vouchers e promoção do comércio de proximidade.

Na questão da economia de proximidade verificámos o ressurgimento de uma economia local com necessidade de desenvolver cadeias de abastecimento mais próximas. A pandemia provocou uma grande alteração nas rotas de comércio internacional e a consequência passou por uma aposta mais concertada nas redes de abastecimento local e na produção dentro de portas para facilitar o consumo.

O comércio eletrónico de proximidade foi uma das consequências da pandemia.

Um dos grandes desafios para este mandato será o de demonstrar aos empresários do concelho que uma aposta na economia local fará dinamizar outras atividades. Se o rendimento gerado circular dentro da economia local promoveremos um maior poder de compra, qualidade de vida e surgimento de novas oportunidades de negócio.

Por outro lado, ao desenvolvermos a economia local estamos a promover o uso do território, evitando o abandono.


Fonte: IMEDIATO

 

La Asociación Eólica de Cantabria/España (AEC) confía en que el nuevo consejero de Industria, el regionalista Javier López Marcano, “continúe el apoyo decidido de sus predecesores” al desarrollo de la energía eólica en la comunidad.

Desde la AEC han dirigido una carta a Marcano para desearle “el mayor de los éxitos” en la política industrial de la comunidad y trasladarle que el sector eólico “es muy interesante para Cantabria por contar con proyectos reales que movilizan centenares de millones de euros de inversión e implican a una gran variedad de empresas cántabras”.

En este sentido, el presidente de la AEC, Agustín Valcarce, ha explicado, en un comunicado, que actualmente existen más de 800 megawatios de potencia eólica que están siendo tramitados por socios de la AEC para su implantación en la región.

De hecho, ha indicado que los primeros parques “podrían estar en construcción antes de dos años, siempre y cuando superen los exigentes informes de impacto ambiental que realiza la Administración”.

Según ha señalado, que estos proyectos salgan adelante sería “una buena noticia” para la comunidad teniendo en cuenta que la ratio de inversión es de 1 millón de euros por cada megawatio instalado.

Valcarce ha defendido que las compañías de la AEC creen que Cantabria cada vez está “más cerca de abandonar la cola” del ranking nacional del desarrollo eólico porque los proyectos siguen su tramitación administrativa.

“Las empresas estamos actuando de manera responsable en unterritorio especialmente sensible”, ha indicado el presidente de la AEC, que ha señalado que solo se necesita que “la Administración sume a su rigor en el trabajo la agilidad en las tramitaciones”.

 

AGRADECIMIENTO AL EQUIPO DE INDUSTRIA SALIENTE

Valcarce ha destacado, en este sentido, el “compromiso” manifestado por el consejero saliente, Francisco Martín, y su equipo de la Dirección General de Industria, liderado por Raúl Pelayo, y “no duda” de que López Marcano continuará con el “apoyo decidido” de sus predecesores al desarrollo eólico en nombre del Gobierno de Cantabria.

Según ha indicado, la Asociación Ecólica viene trabajando desde hace más de diez años para impulsar el desarrollo de la energía eólica en la región, un “esfuerzo ímprobo” para el que, según sostiene, “siempre” ha contado con un “apoyo decidido” del Gobierno a lo largo de los últimos años.

La asociación empresarial se ha felicitado también de otros avances recientes de la Consejería de Industria, como la recuperación de las ayudas a otros tipos de energías renovables y la apuesta por situar a Cantabria como “referente tecnológico” del hidrógeno verde.

“Cantabria se juega en estas fechas muchas posibles inversiones enproyectos libres de CO2 así que queremos contar con el apoyo del nuevo consejero para continuar la necesaria descarbonización y electrificación de la economía cántabra”, ha señalado Valcarce.

 

EL NUEVO PLENERCAN, UNA “OPORTUNIDAD EXCELENTE”

Desde el punto de vista de la AEC, uno de los primeros trabajos importantes en este sentido será la elaboración de un nuevo Plan de Sostenibilidad Energético de Cantabria (Plenercan) “más realista y menos complejo en cuanto a las tramitaciones, que sirva para impulsar realmente las renovables en la región y no para obstaculizarlas”.

A su juicio, la planificación anterior prevista para el periodo 2012-2020 “no sirvió de mucho” ya que en todos estos años no se consiguió instalar “ni un solo megawatio”.

Por eso la AEC considera que la nueva redacción del plan es una “oportunidad excelente para impulsar la energía eólica”.

La AEC está compuesta por 17 empresas, de las cuales la tercera parte corresponde a los principales promotores de parques en la región. El resto es un conjunto de compañías de la cadena de valor del sector eólico en el que existen empresas de redes y sistemas, construcción, transporte, mecanizados o montajes eléctricos, entre otras.

 

 

La iniciativa privada, a través de la Confederación de Cámaras Nacionales de Comercio, Servicios y Turismo (Concanaco-Servytur) y la Asociación de Internet MX, formaron la Alianza por la Digitalización para impulsar a las pequeñas y medianas empresas, o pymes.

La iniciativa pretende fomentar las prácticas digitales entre las compañías de comercio minorista y servicios turísticos, de acuerdo con un comunicado conjunto.

“Vemos con optimismo las iniciativas de negocios que se transformaron digitalmente en muy poco tiempo para cubrir demanda local, pero es importante evitar que retornen a prácticas tradicionales al abrirse los mercados, y orientarlos para institucionalizar sus innovaciones”, dijo Philippe Boulanger, presidente de la Asociación de Internet MX, en un comunicado, en el marco del foro eShow México 2021 en su edición digital.

La alianza ocurre cuando el comercio electrónico y otras prácticas digitales han tomado relevancia para diferentes negocios que no han podido operar físicamente debido a las medidas de confinamiento para evitar la propagación de la pandemia de covid-19.

 


Fonte: Sentido Común

2020 está terminando com um estrondo ou um gemido? É difícil dizer, mas está quase acabando, o que é bom. Os desafios deste ano, porém, não foram páreo para a fortaleza das associações. Aqui estão algumas reflexões.

 

Há poucas chances de exagerar como o ano de 2020 foi caótico e inquietante. Por mais difícil que fosse, as associações exemplificaram a tenacidade , a flexibilidade e a engenhosidade necessárias para enfrentar muitas ocasiões assustadoras e continuar a atender às necessidades urgentes de seus membros.

Falei com muitos profissionais de associações nos últimos nove meses e o que ouvi foi: É isso que as associações fazem melhor. Eles são comunidades de solucionadores de problemas. Aqui estão alguns exemplos.

AGREGANDO VALOR EM MEIO A CRISES

As associações enfrentaram muitos desafios para demonstrar valor relevante para os membros durante várias crises, mas ainda havia muitas histórias de sucesso . Muitas pessoas com quem conversei falaram sobre como as crises os fizeram andar muito mais rápido – sem uma rede de segurança.

A American Nurses Association respondeu rapidamente para fornecer aos enfermeiros o que eles mais precisavam quando a pandemia atingiu: uma série de webinar COVID-19 sob demanda gratuita para todos os enfermeiros – não apenas os membros. A ANA acumulou 130.000 inscritos para a série, e um e-mail de adesão direcionado a esses inscritos resultou em aproximadamente 2.600 novos membros. A ANA também estendeu seu período de carência para renovações de sócios e ofereceu aos membros uma estrutura de pagamento de quotas mensais bem recebida.

Faz sentido que os enfermeiros valorizem as informações sobre como responder a uma pandemia global, mas de que outra forma você sabe o que os membros valorizam ? Um relatório recente, Association Trends 2020: From Disruption to Opportunity  [PDF], concluiu que, apesar dos muitos desafios que este ano trouxe, o envolvimento dos membros continua a crescer e a lealdade às associações é forte. Cinquenta e um por cento dos membros pesquisados ​​disseram que sua associação é mais importante para eles hoje do que antes da pandemia.

Advocacy e reuniões são freqüentemente considerados como elementos centrais da proposta de valor de uma associação. Mas Tom Morrison, CEO do Metal Treating Institute, disse que, como parte de um exercício para determinar o valor , a MTI tirou a defesa e as reuniões da mesa e descobriu que a previsão de vendas, benchmarking financeiro, treinamento e desenvolvimento profissional eram geradores de valor importantes para os membros .

PRATICAMENTE ENGAJADO

Associações grandes e pequenas encontraram maneiras inovadoras de envolver os membros , algumas com orçamentos realmente apertados. O Conselho de Iniciação Científica desenvolveu “Cinco em Cinco”, vídeos que fornecem cinco dicas, soluções ou respostas a perguntas em cinco minutos. A equipe não tinha nenhuma habilidade técnica de vídeo para falar, então eles usaram uma plataforma barata, Animoto, para produzir vídeos refinados rapidamente. Os vídeos do CUR incluem como aproveitar melhor sua plataforma de comunidade online e cinco dicas para hospedar um simpósio virtual .

O American Concrete Institute também usou vídeos para se conectar melhor com os membros, especialmente quando perceberam que todos estavam se tornando muito mais proficientes no mundo virtual. As equipes de associação e marketing criaram vídeos curtos de um a dois minutos no quadro branco para conectar membros novos, potenciais e antigos aos benefícios da ACI. Os vídeos conduzem os membros pelas opções de benefícios e mostram como navegar nas diferentes seções do site da ACI  onde os benefícios podem ser acessados.

ORÇAMENTO DE QUOTAS DE SÓCIOS

2020 trouxe muitas incertezas, principalmente em relação às finanças. As associações lutaram para descobrir maneiras de contabilizar as taxas de associação nos orçamentos de 2021. Christina Lewellen, CAE, diretora executiva da Associação de Líderes de Tecnologia em Escolas Independentes, deu alguns bons conselhos .

Sua equipe analisou diferentes níveis de adesão com base no envolvimento dos membros, observando fatores como longevidade, voluntariado e participação em reuniões. Isso os ajudou a determinar quais membros teriam maior probabilidade de voltar, e foi assim que elaboraram seu orçamento.

E, finalmente, como você se comunica com os membros em uma crise ? Uma combinação de empatia e algumas técnicas antiquadas são fundamentais, de acordo com Sheri Singer, presidente da Singer Communications. Ela ofereceu muitas orientações práticas sobre maneiras de falar com os membros em tempos difíceis. E – bônus – ela explicou por que todos nós temos fadiga do Zoom. É porque estamos experimentando “cérebro de lagarto”. Mistério resolvido!

À medida que avançamos em 2021, será um alívio sair do modo de sobrevivência e entrar no que espero que seja o modo de recuperação. É hora de virar a página.


Fonte: Association Snow

 

 

O Fórum de Associações , a maior rede de associações de base ampla da Austrália com mais de 600 membros, publicou recentemente as conclusões de sua Pesquisa de Eventos de Associação 2020. O objetivo era investigar como os eventos de negócios organizados por associações foram afetados pela pandemia e trazer à tona as novas tendências .

Com 194 associações participantes, a Pesquisa mostrou que apenas um quinto dos eventos foram cancelados. Um terço foi remarcado, enquanto a maioria optou por se tornar totalmente virtual ou – muito menos – híbrido, metade dos quais administrados por funcionários internos das associações. Entre outras descobertas, quase metade das associações viu uma diminuição na receita de patrocínio de seu grande evento.

A gerente geral do Fórum da Associação, Fátima Sunderji, afirma: “Os eventos estão no centro das associações. Eles ajudam a associação a cumprir seus objetivos de educação e informação e também fornecem um fluxo de renda valioso. Este ano, os eventos foram fortemente impactados pela pandemia COVID-19 e associações mudaram com sucesso rapidamente para modelos virtuais e híbridos. ”


Fonte: https://boardroom.global/what-do-statistics-say-about-the-associations-2020/

 

O Conselho Filipino de Associações e Executivos de Associações (PCAAE), com o apoio do Tourism Promotions Board (TPB), realizou com sucesso a oitava edição de sua Cúpula Anual de Associações (AS8) com o tema “Liderando com Agilidade”.

O evento virtual de 2 dias, que atraiu mais de cem participantes das Filipinas e do exterior, apresentou oito webinars sobre governança de associações e tópicos de gestão, uma sessão de abertura inspirada no turismo, a apresentação do Prêmio “Ang Susi” 2020 e o 8º Conselho Geral de Reunião de membros.

A seguir estão anotações notáveis ​​que tirei de discursos e apresentações dos ilustres convidados e palestrantes que prestigiaram a ocasião:

Maria Anthonette C. Velasco-Allones, Chief Operating Officer da TPB: “O tema da Cúpula ressoa profundamente com qualquer líder que permanece focado em alcançar objetivos organizacionais estratégicos, sustenta uma mentalidade criativa para explorar novas maneiras de pensar e fazer as coisas e continua a comprometer e cultivar o espírito de serviço compartilhado dentro do contexto da equipe do líder, de nossa indústria e, em um ambiente mais amplo, de nosso país ”.

Charlie Villasenor, Presidente, PCAAE e Procurement and Supply Institute of Asia (Pasia): “A realização da Cúpula não poderia ter ocorrido em um momento melhor do que este, enquanto enfrentamos os desafios que a pandemia de Covid-19 trouxe. Tenho certeza de que todos vocês têm suas próprias histórias para contar sobre como estão sobrevivendo e transformando suas associações, profissões e setores. Esta é uma das nossas maiores oportunidades de espalhar a fé por meio de eventos como este que estamos realizando agora. ”

Greta Kotler, Diretora de Credenciamento e Desenvolvimento Global, American Society of Association Executives (ASAE): “Gostaria de parabenizar a PCAAE pelo trabalho que tem feito nos últimos oito anos e pelas muitas contribuições que tem feito para a sociedade filipina . Também estamos orgulhosos da revista ‘Association World’ (PCAAE) e do trabalho fenomenal que você tem feito com ela. ”

Amy Hissrich, Vice-presidente Global e de Estratégias da ASAE: “Os desafios complexos de 2020 estimularam a inovação e a agilidade em associações em todo o mundo. Enquanto as associações lutam para saber como mudar para reuniões virtuais, abordar o trabalho remoto e avaliar novos modelos de negócios, é justo que o tópico da Cúpula deste ano seja ‘Liderando com Agilidade ”.

Gihan Perera, futurista, palestrante, autor e consultor: “Não estamos no mesmo barco, mas na mesma tempestade. Todo mundo está pensando de forma diferente sobre o que é importante para eles. O que costumava funcionar antes pode não funcionar mais agora. Liderar com agilidade precisa de três coisas: (1) fazer uma varredura mais ampla, ou seja, pensar mais no que está acontecendo fora de sua associação; (2) escolher melhor, ou seja, estreitar sua escolha e escolher o caminho que vai seguir para o futuro; e (3) usar com sabedoria, ou seja, aproveitar e aproveitar os recursos de que você dispõe. Portanto, quando estiver fazendo seus planos, não busque a perfeição, mas faça o que é bom para você agora, com um plano reserva quando as coisas mudarem. ”

John Peacock, CEO, Associations Forum (Austrália): “As associações de sucesso consideram estes 11 elementos essenciais: estrutura organizacional e escopo, revisão constante de sua constituição, boa governança, equipe, finanças, tecnologia, serviços aos membros (proposta de valor), comunicação, associação engajamento, planos e cultura. ”

Principais fornecedores: iMIS, MemberSuite, Fonteva for Associations, Daxko Operations, MemberClicks, etc. |

 

Prevê-se que o mercado de software de gerenciamento de associação global descubra o crescimento robusto até 2026. Este relatório enfoca os principais participantes com perspectiva global, com um estudo profissional e aprofundado sobre o estado atual da indústria de software de gerenciamento de associação global. O relatório de pesquisa de mercado do software de gerenciamento da Associação Global fornece estratégias de mercado importantes e tendências mais recentes com discussão sobre o consumo de mercado, principais fatores, restrições e participação de mercado prevista para 2026.

O Relatório de mercado de software de gerenciamento de associação global descreve mais detalhadamente informações sobre táticas e estratégias usadas por empresas-chave líderes na indústria de software de gerenciamento de associação global. Ele também oferece um amplo estudo sobre diferentes segmentos de mercado e regiões.

 

O relatório de mercado de software de gerenciamento de associação global fornece respostas para as seguintes questões principais:

  1. Qual será o tamanho do mercado de Software de gerenciamento da Associação Global e a taxa de crescimento no próximo ano?
  2. Quais são os principais fatores que impulsionam o mercado global de software de gerenciamento de associação global?
  3. Quais são as principais tendências de mercado que impactam o crescimento do mercado global de software de gerenciamento de associação global?
  4. Quais são os Fatores de tendência que influenciam as participações de mercado das principais regiões do mundo?
  5. Quem são os principais participantes do mercado e quais são suas estratégias no mercado global de software de gerenciamento de associações globais?
  6. Quais são as oportunidades e ameaças de mercado enfrentadas pelos fornecedores no mercado global de software de gerenciamento de associação global?
  7. Quais tendências industriais, motivadores e desafios estão manipulando seu crescimento?
  8. Quais são os principais resultados da análise das cinco forças do mercado global de software de gerenciamento de associação global?
  9. Qual é o impacto da Covid19 na indústria atual?

 

Para obter mais informações, solicite o PDF de amostra:

https://inforgrowth.com/sample-request/2275890/global-association-management-software-market

 

O relatório Global Association Management Software Market fornece informações básicas sobre o setor de software de gerenciamento de associação global, definição, classificação, aplicativo, estrutura da cadeia de setor, visão geral do setor; análise de mercado internacional. Este relatório estuda as vendas (consumo) do mercado de Software de Gerenciamento de Associação Global, foca nos principais players, com vendas, preço, receita e participação de mercado com volume e valor para cada região.

 

Fonte: TheDailyChronicle

O que as associações resilientes fizeram para priorizar os associados, fortalecer sua missão e permanecer bem-sucedidas durante a pandemia COVID-19? Personify conversou com líderes de toda a indústria para aprender mais.

Como todas as empresas e organizações, as associações foram duramente atingidas pelos devastadores efeitos físicos, mentais e financeiros da pandemia do coronavírus. Das maiores às menores associações, o bloqueio colocava os membros da equipe em lutas de última hora para salvar conferências, para comunicar aos membros as melhores práticas em constante mudança – em suma, para encontrar soluções rápidas para manter suas organizações vivas.

Durante esse período sem precedentes, a Personify, fornecedora líder de tecnologia para associações, conversou com várias associações do setor para entender melhor quais estratégias e táticas permitiram que as associações ágeis não apenas sobrevivessem a esse período sombrio da história, mas também prosperassem. Aqui estão alguns dos traços comuns de associações resilientes.

 

EMPATIA PELOS MEMBROS

Associações bem-sucedidas não veem seus associados simplesmente como fontes de receita, elas os veem como pessoas. A preocupação genuína e a empatia demonstradas pelas associações estimulam a gratidão de seus membros, o que, de acordo com a Harvard Business Review, é a forma mais poderosa de criar lealdade duradoura.

Caso em questão: a American Health Information Management Association elaborou um plano para apoiar os novos membros assim que a pandemia surgisse. Vicky Betzig, Diretora de Reuniões da AHIMA explicou: “Tivemos muitas pessoas em nossa profissão que sofreram reduções salariais ou perderam totalmente os empregos. Então, na associação, tem havido muita defesa em torno de ajudá-los a encontrar recursos para empregos ”.

Betzig explicou que o AHIMA ofereceu “descontos por privações” para novas adesões e renovações, e também ajudou membros desempregados a transferir suas habilidades para outros meios de trabalho, como rastreamento de contato.

A American Optometric Association adotou uma abordagem semelhante. “Quando COVID-19 começou a varrer os Estados Unidos, soubemos imediatamente que os médicos que defendemos sofreriam um forte impacto”, explica Adam Reider, gerente de treinamento e suporte técnico. “Durante a noite, eles passaram de ver seus pacientes regularmente para cenários ‘apenas de emergência’.” O AOA entrou em ação com webinars instrucionais para seus membros e não membros, para ajudá-los a navegar em tudo, desde a telemedicina até os aplicativos de empréstimo PPP. “Não achamos apropriado lançar um firewall gigante”, diz Reider sobre esse conteúdo. “Queremos ser capazes de olhar para trás depois que esta crise passar e saber que realmente defendemos esta profissão.”

 

FOCO RENOVADO NA MISSÃO

 “Em tempos de desafios, não é incomum voltar aos elementos fundamentais que servem como pilares básicos de valor para seus associados”, disse Teresa Zimmerman, vice-presidente de marketing da Personify. “Os membros procuram suas associações para conectá-los a uma rede de pessoas e oportunidades que os ajudem a avançar em sua disciplina, impulsionar seus setores, expandir seu alcance, apoiar sua comunidade e criar um impacto duradouro.”

Organizações como a Association for Supervision and Curriculum Development descobriram que a pandemia reenergizou e reorientou seu senso de propósito. Citando a disparidade que os membros relataram na qualidade da aprendizagem remota com base nas condições socioeconômicas dos distritos, o CIO da ASCD, Fara Francis descreveu uma nova urgência dentro da organização para ajudar.

“Estamos trabalhando incansavelmente para construir comunidades que possam se conectar, defender e compartilhar recursos uns com os outros para garantir que nenhum aluno seja abandonado durante esse tempo.”

 

TOMADA DE DECISÕES ORIENTADA POR DADOS

“Muito poucos tinham um manual pronto para lidar com uma pandemia”, disse Zimmerman. “Trabalhamos em estreita colaboração com nossos clientes para ajudá-los a entender melhor o que seus membros precisavam para que pudessem alinhar experiências e conexões por meio de sua pilha de tecnologia e serem bem-sucedidos e relevantes para seus membros neste novo mundo digital em primeiro lugar.”

“Um erro que vi muitas vezes é que uma associação desenvolve produtos, serviços e experiências no vácuo e, em seguida, tenta convencer as pessoas de que precisam comprá-los”, disse Dennis Sadler, Diretor Executivo Adjunto de Operações da Associação Nacional de diretores secundários.

Angel Baltimore, vice-presidente de estratégia digital e comércio eletrônico da American Pharmacists Association, concorda. Em vez de adivinhar o que seus membros precisavam nos primeiros dias da pandemia, ela analisou os dados coletados por seu AMS, Personify360.

“Somos capazes de segmentar e analisar a análise dos participantes da sessão para ver coisas como quem são membros, quem não são membros, quem são clientes habituais.” Isso, diz Baltimore, permitiu que a APhA concentrasse suas energias nos produtos e serviços que seus membros mais desejavam e nos usuários de alto valor que deveriam ter como alvo com seu marketing.

 

Fonte: https://associationsnow.com/2020/09/4-ways-resilient-associations-have-survived-and-thrived-in-the-pandemic/

Duke Center – Os residentes do município de Otto Townshipp estão mais uma vez exibindo o espírito de voluntariado e cooperação de uma pequena cidade americana.

Além do generoso presente recebido no mês passado (dois novos cortadores de grama zero) de Jim Coast Sales and Service, a Otto Township Cemetery Association recentemente se beneficiou dos serviços de retroescavadeira de Ted Schwab e da atualização contínua do computador de seu colega Duke Centerian Greg Givan .

Os supervisores do município também se comprometeram a ajudar na remoção de três árvores dos cemitérios.

Esses gestos, juntamente com todas as outras ajudas recebidas, tanto financeira quanto fisicamente, são indicativos da disposição do pequeno município de contribuir quando necessário.

É necessário mais um voluntário, alguém para ocupar o cargo no comitê do cemitério criado com a renúncia de Kelly Pearce. Qualquer pessoa interessada deve entrar em contato com as pessoas do comitê Sharon Schwab ou David Silvis.

A associação está atualmente obtendo orçamentos para dois galpões de armazenamento para abrigar os cortadores de grama e outros equipamentos de manutenção. A decisão será tomada em breve e os galpões serão entregues e utilizados no próximo mês.

 

O cemitério do Duke Centre foi pesquisado e mapeado e espera-se que o terreno de Rixford seja concluído em um futuro próximo. Além disso, com a aposentadoria de Robert Galantine, Rich Amidon de Shinglehouse concordou em abrir e fechar sepulturas para a associação a partir desta data.

 

Fonte: http://www.bradfordera.com/news/local/otto-twp-cemetery-association-looking-for-volunteer/article_b0971437-33ae-5c4e-853f-821c9ff61458.html

A ESCOLA DE ASSOCIATIVISMO se fez presente neste formidável evento pelo seu Presidente do Conselho de Gestão, Sergio Rogerio de Castro e pelo membro da Auditoria e colaborador voluntário, Ronald Carvalho. De 10 a 12 de agosto último a ASAE Associação Americana de Executivos de Associações celebrou o seu centenário de maneira inusitada, virtualmente.

Tudo estava marcado para acontecer em grande estilo no Mandalay Bay Resort and Casino de Las Vegas mas a pandemia do Covid19 não permitiu. Hora de mostrar competência. Os dirigentes da ASAE então decidiram que o evento seria virtual, não de qualquer maneira mas o melhor que fosse possível fazer. E foi um grande evento, diferente, rico em conteúdo, em soluções para dar ao participante a sensação de estar num evento presencial.

Dezenas de palestras foram oferecidas aos congressistas, a esmagadora maioria sobre Associativismo mas também sobre outros temas de grande atualidade. Fornecedores de associações tinham o seu Hall de Exibições virtual, e toda uma estrutura para proporcionar contatos entre os cerca de 14.000 participantes. Muito conteúdo, um evento inesquecível que teve em uma das suas últimas palestras uma definitiva frase para expressar o que acontecia: ASSOCIATIONS MATTER (ASSOCIAÇÕES IMPORTAM), em consonância com o movimento de igualdade racial que está envolvendo os Estados Unidos neste momento.

O Presidente da República vai ter uma audiência, esta sexta-feira, 31 de Julho, às 18h00, em Tavira, com associações empresariais do Algarve. 

A reunião entre empresários e Marcelo Rebelo de Sousa decorrerá no Hotel Vila Galé Albacora.

Depois desta audiência, o Presidente da República vai ter mais um jantar com autarcas do Algarve: o quatro deste mês. Desta vez, será na Pousada do Convento, em Tavira.

Esta vai ser a quarta visita do chefe de Estado ao Algarve este mês, depois de já ter passado por Monte Gordo (Vila Real de Santo António), Lagos e Loulé. 

 

Voce(Voz) di Rovigo em Veneto/Italia

O curso de treinamento do Centro de Serviço Voluntário continua a ajudar as associações a reiniciar com segurança, respeitando as regras contra a propagação do vírus Corona.

Após a primeira consulta com o webinar na semana passada, o CSV agora oferece às associações dois cursos a distância em sua plataforma dedicada ao ensino a distância. Um deles se concentra na apresentação do “plano anti-contágio”, para treinar representantes legais sobre as medidas, disposições e protocolos legais relativos à emergência do Covid-19, ajudando a elaborar este documento necessário para o reatamento das atividades da associação. Um segundo seminário remoto trata especificamente de medidas para proteger voluntários e funcionários, com informações detalhadas sobre a lei.

 

Fonte: https://www.polesine24.it/rovigo/2020/06/24/news/per-il-volontariato-e-il-momento-di-ripartire-92295/

Escreva conosco o futuro através do poderoso trabalho das associações

 

A comunidade da associação fez contribuições significativas e teve um profundo impacto na sociedade nos últimos 100 anos. Junte-se a nós no evento virtual deste ano, pois nos concentramos em um futuro que exige que inovemos e superemos as expectativas. Por meio das inúmeras ofertas educacionais oportunas e infinitas oportunidades de networking, juntos criaremos, aprenderemos e nos conectaremos para encaminhar nossas missões e nos comprometermos a continuar fazendo uma marca no mundo ao nosso redor.

ASAE: O CENTRO DE LIDERANÇA DA ASSOCIAÇÃO

O Center for Association Leadership, localizado em Washington, DC, é uma organização associativa de mais de 46.000 executivos da associação e parceiros do setor representando 7.400 organizações.

 

Fonte: https://annual.asaecenter.org

Vicente Frasquet Vidal preside la nueva agrupación constituida con el primer objetivo de atraer visitantes este verano

ABC Comunidade Valenciana Espanha

 

La nueva Asociación Empresarial Playas Costa Blanca, que aglutina a empresas de servicios turísticos, hostelería, ocio, equipamiento, seguridad y actividades deportivas que trabajan en la costa de la provincia de Alicante, nace con el objetivo de relanzar el sector en un momento crítico por la crisis originada por el coronavirus, con la falta de visitantes.

La junta directiva constituyente está presidida por Vicente Frasquet Vidal (camping Kiko Park) e integrada también por Thomas Herteux y Andrés Romero Santander, como vicepresidentes; Marino Carrizo Fernández, como secretario; Gustavo Adolfo Medina Castellano; Marcos Muñiz Rubio, Jorge Carmelo Vidal Carbonell y José Antonio Olivar Baró, como vocales, y Carolina Marina Vilanova, como tesorera.

El objetivo declarado por sus impulsores es defender y representar los intereses del sector y contribuir a potenciar la imagen turística de la Costa Blanca, así como «avanzar en la calidad del servicio que se presta cada año a los millones de personas que utilizan las playas de la provincia de Alicante». Además, en estas «circunstancias tan especiales que ha generado la pandemia del Covid-19, una de las prioridades de la asociación va a ser velar por la seguridad y la salud de los turistas que utilicen los servicios de playa y también de los profesionales que les atiendan».

La actual coyuntura resulta especialmente compleja, dado que estas empresas dependen en gran medida del turismo internacional, tal como resaltan desde esta asociación. El sector «se enfrenta a un ejercicio lleno de dificultades que empezó con el cierre forzoso de los negocios durante la Semana Santa y los puentes festivos posteriores, y que ahora afronta una dura y corta campaña estival en la que van a tener que adaptarse a una reducción drástica del número de visitantes extranjeros, a lo que se suman las restricciones de aforo y la incorporación de nuevas medidas sanitarias y de distanciamiento social», señalan.

Evitar cierres

Estos empresarios pretenden colaborar activamente con las administraciones, instituciones y organizaciones empresariales del sector para activar soluciones de consenso que permitan asegurar la pervivencia de las empresas concesionarias y dar un servicio con todas las garantías sanitarias que precisan los protocolos de actuación en el sector turístico, prestando especial atención a las peculiaridades de los servicios de playas.

La asociación considera que sus empresas juegan un papel relevante en la imagen turística de la zona puesto que en muchas ocasiones son la primera referencia de información turística o del municipio en el que se encuentran para los visitantes. Además, «la presencia de los servicios de playa reglados evita la proliferación de la venta ambulante no regulada de bebidas, comida y otros productos en la costa, al tiempo que mejora los índices de seguridad y beneficia el turismo de calidad», indican.

En esta situación de «excepcionalidad» la asociación va a realizar propuestas a la Administración para potenciar la promoción del turismo de playa con el objetivo de atraer visitantes a la Costa Blanca.

Fonte: https://www.abc.es/espana/comunidad-valenciana/abci-nace-asociacion-empresarial-playas-costa-blanca-para-relanzar-sector-turistico-crisis-covid-19-202005271650_noticia.html?ref=https:%2F%2Fwww.google.com

OLYMPIA, WA – A Associação dos Negócios de Washington anunciou hoje um novo site destinado a ajudar as empresas de Washington a receber com segurança funcionários e clientes.

O site, localizado em www.reboundandrecovery.org, possui um portal on-line para conectar as empresas de Washington aos fabricantes de equipamentos de proteção individual (EPI) ‘Made in Washington’, além de um kit de ferramentas para pequenas empresas para ajudar a preparar seus espaços físicos para reabrir e ajudar na comunicação de novos protocolos de saúde e segurança com funcionários e clientes.

O site é gratuito e está disponível para todas as empresas de Washington.

“À medida que mais condados passam para a Fase 2 do plano Safe Start do estado e à medida que mais partes da economia de Washington voltam à vida, sabemos que os empregadores precisarão de ajuda para localizar equipamentos de proteção individual, como máscaras faciais, luvas e desinfetante para as mãos”, disse o presidente da AWB, Kris. Johnson. “Essa é uma necessidade urgente e, esperamos, uma necessidade contínua, à medida que nos ajustamos a um ‘novo normal’. Portanto, queríamos facilitar para os empregadores não apenas encontrar o EPI de que precisam, mas também facilitar a apoiar os fabricantes de Washington desses produtos. O portal PPE Connect foi projetado para fazer exatamente isso – conectar as empresas de Washington com os fabricantes de PPE de Washington. ”

No lançamento, aproximadamente 40 fabricantes de Washington estão listados no banco de dados, fabricando itens como máscaras, escudos, vestidos e desinfetante para as mãos. O número de fabricantes e tipos de produtos deverá crescer. Os fabricantes de Washington que desejam ser incluídos no banco de dados são convidados a enviar informações em www.bit.ly/awbppeform.

Além do portal PPE Connect, o site inclui um kit de ferramentas de negócios voltado para pequenas e médias empresas. O kit de ferramentas contém modelos de personalização para download que os empregadores podem usar para criar tudo, desde um Plano de Trabalho Seguro e armazenar sinalização até conteúdo de mídia social e adesivos físicos de piso.

“A intenção é que seja uma ferramenta muito prática e útil para pequenas empresas que não têm certeza de onde ir para descobrir quais procedimentos e práticas precisam implementar ou a melhor forma de comunicar as etapas que adotaram para seus funcionários e clientes. Johnson acrescentou.

O site é o resultado da Força-Tarefa de Recuperação e Recuperação do AWB, um grupo de quase três dezenas de líderes empresariais de diversos setores e localidades em todo o estado, juntamente com a diretora do Departamento de Comércio do Estado, Lisa Brown, e a comissária de segurança do emprego Suzi LeVine. A força-tarefa é liderada pelas co-presidentes Michelle Hege, presidente e CEO da DH, uma agência de relações públicas, publicidade e branding com sede em Spokane; e Tim Schauer, CEO da MacKay Sposito, uma empresa de consultoria em infraestrutura e desenvolvimento com sede em Vancouver. O site, incluindo o portal PPE Connect, foi construído pela SiteCrafting, uma agência digital de serviço completo baseada em Tacoma.

“Quero agradecer aos membros da Força-Tarefa de Recuperação e Recuperação do AWB por reconhecer as necessidades urgentes que as empresas de Washington enfrentam e a SiteCrafting por se mover rapidamente para criar essa ferramenta”, disse Schauer. “Esperamos e acreditamos que será útil para os empregadores de Washington, especialmente para as pequenas empresas que não podem comprar EPI a granel. O portal PPE Connect permite que as empresas se conectem com os fabricantes de Washington e comprem itens às centenas ou milhares, contra dezenas de milhares ou milhões. ”

Hege disse que o kit de ferramentas fornece às pequenas empresas um roteiro para navegar neste momento difícil. “Muitas de nossas pequenas empresas estão a dias ou semanas de não conseguir abrir”, disse ela. “O kit de ferramentas foi projetado para equipar as empresas com as informações necessárias para reabrir suas portas com segurança e para comunicar como elas estão adotando medidas para proteger seus funcionários e clientes, para que possam criar confiança do público. Sabemos que a vida não pode voltar ao ‘normal’ por um tempo; portanto, precisamos encontrar maneiras de se adaptar e criar maneiras novas e seguras de abrir lojas e fazer com que Washington volte ao trabalho. ”

ASAE: O CENTRO DE LIDERANÇA ASSOCIATIVA / 12 DE MAIO DE 2020

Com tantos fatores relacionados à pandemia do COVID-19 ainda desconhecidos, a saúde e a segurança dos participantes, funcionários da ASAE e da MGM levaram a decisão de converter a conferência pessoal planejada para Las Vegas em um evento virtual em agosto.

A ASAE, em estreita colaboração com a MGM Resorts International, anunciou hoje que cancelará sua Reunião Anual e Exposição 2020 pessoalmente, programada para ser realizada de 8 a 11 de agosto no Mandalay Bay Resort & Casino em Las Vegas, devido a preocupações de saúde pública e segurança relacionados à pandemia de coronavírus (COVID-19).

Em vez disso, a ASAE está trabalhando com palestrantes, patrocinadores e parceiros do setor para entregar uma Reunião e Exposição Virtual Anual Virtual reimaginada na semana de 10 de agosto. Informações de registro, datas exatas e oportunidades de parceiros do setor para a Reunião Anual Virtual serão compartilhadas com a comunidade da ASAE na primeira semana de junho.

O Conselho de Administração da ASAE também realizará uma reunião virtual em 7 de agosto.

“Após uma discussão cuidadosa de todos os aspectos da reunião e experiência com nossos parceiros fantásticos em Mandalay Bay e MGM Resorts, a ASAE tomou a difícil decisão de mudar a Reunião Anual e a Expo 2020 para uma experiência virtual”, disse Susan Robertson, Presidente e CEO da ASAE CAE. “Tão empolgados quanto organizamos uma Reunião Anual presencial robusta e memorável em Las Vegas em agosto deste ano e para celebrar o centenário da ASAE com a comunidade da associação, a saúde pública e a segurança de nossos participantes, funcionários e voluntários e a equipe da MGM superaram quaisquer outras considerações em nosso processo coletivo de tomada de decisão “.

“Nossa equipe trabalhou em estreita colaboração com a ASAE para criar o que seria um evento incrível em agosto, mas entendemos a difícil decisão que eles tiveram que tomar no clima atual”, disse Stephanie Glanzer, vice-presidente sênior e diretora de vendas da MGM Resorts. . “Há muito que valorizamos nosso relacionamento com a ASAE e estamos ansiosos para receber em breve a comunidade da associação em Las Vegas”.

A ASAE, a MGM e outros parceiros de eventos em Las Vegas mantiveram contato regular durante o planejamento da 10ª Reunião Anual da ASAE e prestaram muita atenção ao cronograma dos planos federais e estaduais de Nevada para facilitar as restrições de viagens aéreas, diretrizes de distância social e restrições sobre grandes reuniões assim que a ameaça COVID-19 desaparecer. Dado o número de fatores ainda desconhecidos relacionados à contenção do vírus, e com os participantes da Reunião Anual da ASAE normalmente vindos de todo o país e internacionalmente, todas as partes concluíram que o cancelamento da reunião presencial era seguro e ação responsável.

“A ASAE e a MGM estavam além de preparadas para exceder as expectativas dos participantes na Reunião Anual de 2020. Esperamos trabalhar com nossos parceiros de Las Vegas no futuro ”, disse Amy Ledoux, CAE, CMP, chefe de aprendizado e reuniões da ASAE. “Mudando de marcha, agora estamos totalmente imersos na criação da experiência virtual da Reunião Anual virtual mais dinâmica possível para nossos membros. Os participantes virtuais podem esperar o mesmo excelente conteúdo que fomos entregues em Las Vegas, portanto, fique atento. Vamos estruturar essa experiência reimaginada para caber na agenda e no orçamento de todos os membros, e haverá várias opções de envolvimento. ”

Mais detalhes sobre a Reunião e Exposição Virtual Virtual da ASAE serão comunicados assim que finalizados e atualizados no site da Reunião Anual da ASAE. A Reunião Anual e Exposição da ASAE para 2021 está programada para 14 a 17 de agosto de 2021, em Dallas.

ASAE: O CENTRO DE LIDERANÇA DA ASSOCIAÇÃO

O Center for Association Leadership, localizado em Washington, DC, é uma organização associativa de mais de 46.000 executivos da associação e parceiros do setor representando 7.400 organizações.

Fonte: Publicado por David M. Bendoff | 28/03/2020 07:00

P: O conselho de administração de nossa associação pode adiar a reunião anual de seus proprietários devido à pandemia do COVID-19?
R: O vírus que causa o COVID-19 foi declarado uma emergência nacional pelo presidente dos Estados Unidos, enquanto o governador de Illinois declarou um estado de emergência. Os Centros de Controle de Doenças estabeleceram uma política de “distanciamento social”, pela qual todos devemos manter uma distância de pelo menos 6 pés um do outro para impedir a propagação do vírus.

Importante, a orientação do CDC agora declara que a maioria das reuniões de 10 ou mais pessoas deve ser cancelada! Isso tudo dá uma justificativa ampla aos conselhos de associação para adiar uma próxima reunião anual dos proprietários pela duração desta pandemia ou até que as orientações do CDC sobre reuniões de grupos sejam levantadas.

Dito isto, quando permitido, os proprietários podem ser incentivados a votar nas eleições dos membros do conselho por procuradores emitidos para uma única pessoa, ou a votar por cédula pelo correio ou eletronicamente (e-mail) se a associação tiver adotado regras apropriadas para permitir tal votação. Essas sugestões reduzirão o número de pessoas fisicamente próximas umas das outras em uma reunião anual de proprietários.

Cédulas por correio / votação eletrônica somente serão permitidas se regras apropriadas tiverem sido adotadas; caso contrário, os proprietários precisarão votar pessoalmente ou por procuração.

 

P: O conselho da nossa associação precisa se reunir; no entanto, estamos preocupados em nos reunir pessoalmente, dada a situação do COVID-19. Existe uma alternativa para uma reunião do conselho “pessoalmente”?

R: “Distanciamento social” é uma política pública com a ordem executiva do governador Pritzker em relação às reuniões do governo (não aplicável a associações, exceto por analogia). Em vista disso, o conselho deve considerar a realização de suas reuniões para realizar negócios da associação por meio de teleconferências / vídeo ou outros meios tecnológicos aceitáveis, conforme permitido por lei, pelo qual todas as pessoas (membros do conselho) que participam da reunião podem se comunicar. , permitindo simultaneamente que os proprietários ouçam / observem, sem se reunir como um grupo.

Existem serviços que podem fornecer números de chamada em conferência discada para esse fim. Normalmente, é preciso haver um local físico para uma reunião do conselho para que os proprietários possam participar. No entanto, desde que os proprietários possam “participar” de qualquer parte aberta de uma reunião do conselho realizada por meio de teleconferências / vídeo ou outros meios tecnológicos aceitáveis, por meio dessa tecnologia, essa abordagem parece ser um equilíbrio razoável entre o que pode ser a letra da lei e da atual política pública de “distanciamento social”.

Existem vários desses serviços de teleconferência identificados por uma rápida pesquisa no Google. Alguns desses serviços permitem que os proprietários ouçam os membros do conselho, mas eles são “silenciados”, a menos e até que o conselho “mude” os proprietários.

Ainda é necessário aviso dessas reuniões.

 

P: Existe alguma coisa que o conselho da nossa associação possa fazer para reduzir o número de reuniões do conselho durante a situação do COVID-19?

R: Para lidar com as decisões do dia-a-dia, o conselho pode adotar uma resolução (em uma reunião do conselho) delegando autoridade de tomada de decisão ao presidente do conselho (que pode consultar os membros individuais

do conselho), e isso pode ser por um período finito. período de tempo. Muitos municípios de Chicago adotaram essa abordagem para evitar reuniões públicas durante essa pandemia.

Muitas associações adotaram esse tipo de resolução após a decisão da Palm. Isso permitiria ao presidente do conselho de associação (ou qualquer outra pessoa autorizada na resolução) tomar essas decisões diárias sem uma reunião (e relatar as decisões ao conselho).

 

David M. Bendoff é advogado da Kovitz Shifrin Nesbit nos subúrbios de Chicago.

De geração em geração, o movimento associativo juvenil reinventa-se para dar resposta às necessidades, objetivos e interesses dos jovens.

Tiago Rego, FNAJ

Fonte: Imagem de Tiago Rego, FNAJ

Todos os anos, em abril, celebra-se o Dia do Associativismo Jovem, uma efeméride que devemos sempre assinalar para evidenciar a iniciativa e participação da juventude que se organiza em associações juvenis para mudar o mundo. De geração em geração, o movimento associativo juvenil reinventa-se para dar resposta às necessidades, objetivos e interesses dos jovens, rejeitando a ideia de que estes vivem alheados e desligados das suas comunidades.

A intervenção dos jovens na sociedade é comummente posta em causa e apontada como deficitária ou desajustada. Porventura, os novos modos de agir da juventude, suportados pelas ferramentas da sua era, provocam alguma desconfiança aos mais velhos, que retiram credibilidade a essas formas “estranhas” de ação. Foi, assim, quando os jovens transformaram as tertúlias de café em conversas de Facebook, nas quais se dizem coisas mais acertadas, outras menos, tal e qual aconteciam nas tertúlias queirosianas. Porém, hoje, os mais velhos, reconhecendo já a sua importância, invadiram estas plataformas e fazem delas espaços de ativismo e de partilha de opiniões sobre o país e o mundo.

É baseada nesta incompreensão inicial da forma de estar das gerações nativas digitais, que as de mais gerações não lhes reconhecem a priori a dita capacidade de intervenção que se quer da juventude, sempre adjetivada, por simpatia, de irreverente e rebelde, como se bastasse ser jovem para ser possuidor de tais predicados. Contudo, tudo isto é uma narrativa com muitos séculos e chegará o tempo da minha geração cair nesta afirmação já dita por filósofos da Grécia Antiga.

De facto, exigimos sempre dos que vêm depois de nós um espírito crítico aguçado, mas, ao mesmo tempo, subsiste a dificuldade de lhes darmos as oportunidades para eles o exercerem, recorrendo à falta da experiência de vida como critério, que só está ao alcance dos que já viveram mais. Assim, fica difícil. Porém, como ninguém é insubstituível, independentemente de bons desempenhos, só saberemos se alguém poderá fazer melhor ou igual no dia em que os que lá estão criarem a oportunidade para que tal aconteça. É um risco que teremos sempre de correr, na certeza que uma geração propicia à que lhe sucederá todas as ferramentas pedagógicas para que esta a supere e faça a humanidade evoluir.

Mas há formas de acelerarmos a dita experiência, enunciada por muitos, como determinante para os cargos de responsabilidade e decisão. Esses espaços de experimentalismo e criatividade são as associações juvenis, através das quais os jovens participam de forma democrática, inclusiva e plural na gestão de projetos em prole de um coletivo, criando estruturas inovadoras e geradoras de impacto social.

Atualmente, nas associações juvenis, o desafio da igualdade de oportunidades, das alterações climáticas e da era digital, são o motor de ação de uma juventude preocupada com a justiça intergeracional e pela crença que a diversidade não deve ser tolerada, mas sim celebrada. São muitas as associações que desenvolvem iniciativas em prol destas causas. Por todo país, vários dirigentes associativos e jovens voluntários, empoderam-se, capacitam-se e intervêm diariamente nas suas comunidades de forma abnegada e altruísta, defendendo o princípio inerente ao associativismo juvenil de que não mudamos o mundo apenas olhando para ele, mas sim pela forma que escolhemos viver nele. E é com base neste dogma que trabalhamos sempre, com o intuito de reforçar a democracia e na certeza de que esta funciona melhor quando todos participamos, seja à moda antiga ou moderna.

Tiago Manuel Rego é presidente da FNAJ

Fonte: https://www.dinheirovivo.pt/opiniao/associativismo-juvenil-escola-de-cidadania/
A Lei de Resposta ao Coronavírus Primeiro às Famílias exige que empresas com menos de 500 funcionários concedam duas semanas de licença médica paga e 10 semanas de licença FMLA parcialmente paga aos funcionários afetados pelo vírus. Um especialista explica o que você precisa saber.

The newly passed Families First Coronavirus Response Act (FFCRA), which went into effect April 1, adds new requirements for paid sick leave and family medical leave act (FMLA) enhancements for businesses with fewer than 500 employees. Sara Curtis, MBA, SPHR, CAE, director of human resources at the American Society of Anesthesiologists (ASA), offered some clarity on what the new requirements mean for associations.

“I think some people are confused that these are government programs,” Curtis said. “[Associations] are responsible for any of the payments.”

While the law applies to any employer with fewer than 500 employees, employers with less than 50 employees can seek hardship exemptions for some of the requirements.

“I think the main thing [associations] need to understand that if they are between 50 and 500, it applies for them,” Curtis said.

The FFCRA has two components: paid sick leave and expanded paid FMLA. Employers must provide two weeks of sick leave at the usual pay rate to employees who are sick with COVID-19 or under quarantine. Employees do not have to first exhaust previously earned sick leave in order to use COVID-19 paid sick leave. Employees can receive two weeks of sick leave at two-thirds pay to care for a family member affected by COVID-19.

Under the expanded FMLA, employers must provide up to 10 additional weeks of paid leave related to the employee or employee’s family dealing with COVID-19. This includes loss of childcare due to COVID-19 closures. The COVID-19 FMLA is paid at two-thirds the employee’s usual salary, up to $200 per day.

As these new requirements are paid for by employers, it could be a financial stretch for organizations that are already reeling from revenue losses caused by canceled conferences and other coronavirus-related closures. “Some of the smaller associations are already struggling to keep staff,” Curtis said. “Positions like receptionists, they are already furloughing.”

To help with this, the FFCRA offers organizations a tax credit to offset the costs of the payouts. Organizations that have fewer than 50 employees can request a hardship exemption to the rules, but as the law is new, it is unknown how often those will be granted.

“It’s not clear how easy it will be to get an exception,” Curtis said. She recommended trying to do the two weeks of paid sick leave, if you’re able, and save the hardship exemption requests for the longer period.

Curtis noted that if an employee does get COVID-19 and needs to use leave, associations are still bound by federal privacy regulations. “We can tell staff, generally, that someone has been exposed, but not who,” Curtis said. “My thing would be asking the employee, ‘Do you mind?’ Even if not their name, can we tell specific departments that they have been exposed?”

The good news, she said, is that many people are working from home, so that reduces the likelihood staff will have been in contact with coworkers who are now coming down with the virus.

Curtis noted that if an association has several employees out who are sick, while also needing to pay leave, it will be a stretch for budgets. “People are trying to keep the operations going,” she said. “It’s harder to adjust when someone is out on leave. You might have to ask some people to do double coverage.”

At ASA, Curtis said they have created a COVID-19 task force to help. “We have one team responsible for business continuity, staff safety, and IT/helpdesk,” she said. This group helps keep the organization up-to-date on new changes like FFCRA and on task in all they need to do to respond. Curtis recommends having such a task force at your organization.

Because the FFCRA is brand new, more details will be known as regulators begin implementing it. “This came out so fast, I don’t think they addressed all the steps,” Curtis said. “They are going to come out with FAQs, so watch their site for more information.”

 

Fonte: https://associationsnow.com/2020/04/how-the-new-covid-19-sick-leave-fmla-law-could-impact-associations/?utm_medium=email&utm_source=rasa_io

 

Embora todos em nosso campo se esforcem para continuar cuidando dos pacientes, dos outros e das famílias em nossas comunidades, os líderes da área de saúde, em particular, reconhecem claramente os desafios sem precedentes que enfrentamos ao tentar desempenhar nossas responsabilidades da maneira mais eficaz possível.

Para ajudar a apoiar nosso país, não podemos pensar em um momento melhor para mobilizar ainda mais toda a força de nosso conhecimento coletivo. Para ajudar os profissionais de saúde a gerenciar melhor a natureza em evolução do COVID-19, as associações listadas aqui estão colaborando estreitamente para fornecer à área da saúde os melhores recursos disponíveis. Incentivamos a comunidade de saúde a visitar os sites listados e a usar as informações disponíveis gratuitamente. Nossas associações atualizarão esses recursos à medida que aprendemos mais. Ao trabalharmos juntos, todos estaremos melhor equipados para melhorar a saúde do país.

“Nossas associações agradecem aos membros da comunidade de saúde pelos serviços que eles e suas organizações estão fornecendo. Reconhecemos e apreciamos o quão difícil é essa situação e estamos comprometidos em apoiá-los durante as próximas semanas e meses”.

Associação Americana de Liderança Médica (AAPL)

Colégio Americano de Executivos de Saúde (ACHE)

Associação Americana de Grupos Médicos (AMGA)

Sociedade Americana de Farmacêuticos do Sistema de Saúde (ASHP)

Faculdade de Executivos em Gerenciamento de Informações em Saúde (CHIME)

Associação de Gerenciamento Financeiro de Assistência Médica (HFMA)

Associação de Gerenciamento de Grupo Médico (MGMA)

Associação Nacional de Qualidade em Saúde (NAHQ)

Web TV Sardegna Italia

O conselho municipal de Alghero decidiu ontem de manhã aprovar um memorando de entendimento com as associações voluntárias para a alocação de contribuições.

“Esta é uma primeira parcela de apoio econômico às atividades que estão ocorrendo e que vêem as Associações de Alghero e Caritas em campo para ações de apoio a pessoas em dificuldades devido à emergência em andamento”, são estas as palavras do prefeito Mario Conoci.

As atividades dizem respeito aos setores mais fracos da população: idosos, doentes e imunodeprimidos. As associações envolvidas são a Confraria da Misericórdia, a Associação de Voluntários Polisoccorso, Alghero Soccorso Onlus, The Guardian Angels Alghero, Compagnia Barracellare del Comune e Radio CB Alghero.

Madrid, 31 mar (EFE).- Un total de 36 federaciones y asociaciones vecinales de todo el país han solicitado el cierre de las viviendas de uso turístico durante la vigencia del estado de alarma porque los portales en los que se alquilan siguen permitiendo “hacer reservas” en pleno periodo de confinamiento mientras los hoteles están cerrados.

En un comunicado difundido por la Federación Regional de Asociaciones Vecinales de Madrid (FRAVM), que se adhiere a la solicitud junto a otras como la Confederación Estatal de Asociaciones de Vecinos (CEAV), se critica la “decisión irresponsable” de declarar esenciales determinados alojamientos, pues consideran que la nota del Ministerio de Transportes, Movilidad y Agenda Urbana “abre la puerta a que las viviendas turísticas sigan funcionando”. .

“La autorización no tiene en cuenta que algunos de los alojamientos turísticos autorizados son viviendas de uso residencial en comunidades de vecinos reconvertidas en pisos turísticos. Ni que, junto a muchas pensiones y hostales, carecen de acceso independiente, compartiendo en viviendas de uso residencial el acceso a elementos comunes junto al resto del vecindario”, asevera la Fravm.

Solo basta “una comprobación rutinaria para verificar que portales como Airbnb permiten realizar reservas en pleno confinamiento, invitando así a incumplir las restricciones del estado de alarma y dar cabida a actividades clandestinas o delictivas en ellos”, apostilla el comunicado.

Por todo ello, afean que “en plena crisis sanitaria” por el coronavirus “los vecinos y vecinas que conviven con las viviendas turísticas tienen que sumar, a la legítima preocupación general que comparten con todos los españoles, una más particular provocada por el funcionamiento continuado” de estos alojamientos “eludiendo todo control en pleno estado de alarma”.

“Entendemos y aplaudimos el uso de los hoteles y similares, edificios dotados con instalaciones y toda clase de servicios (…)o para asistir a las personas que alojan y protocolos de control y desinfección, pero esto no sucede en las viviendas turísticas que comparten espacio y zonas comunes con hogares”, agregan.

Piden que se suprima como servicio esencial cualquier modalidad de alojamiento turístico -piso turístico, hostal o pensión, enumeran- que comparta elementos o zonas comunes entre residentes y usuarios de alojamientos turísticos.

Además, quieren que se bloquee “el acceso de los usuarios y usuarias a portales como Airbnb, Niunba, Booking y demás portales web dedicados a intermediar en el alojamiento turístico de viviendas” mientras que dure el aislamiento.

El alcalde de Madrid, José Luis Martínez-Almeida ha señalado que solo pueden abrir las “viviendas turísticas legalmente autorizadas” e inscritas en el registro, por lo que pide que si estos alojamientos no siguen las normas y protocolos se les denuncie para poder acometer inspecciones. EFE

La Asociación de Jóvenes Empresarios de Andalucía ha presentado la nueva edición de los Premios AJE bajo el lema ‘Un Mar de Empresas’ poniendo  el foco en el mar como esa parte de nuestro planeta que, pese a su dimensión e importancia vital, aún resulta una gran desconocida. Tres cuartas partes de nuestro planeta son agua y Andalucía es la comunidad española con el medio acuático más rico.

 

Saiba mais: https://huelvaya.es/2020/02/06/la-asociacion-de-jovenes-empresarios-abre-una-nueva-edicion-de-los-premios-aje/

Association Now
22 de outubro de 2019
Por: Amy Hufford

Algumas novas técnicas de marketing podem ajudar a aumentar a taxa de captação de novos membros. Aqui estão três abordagens para testar com perspectivas. Os gerentes e diretores de aumento do número do quadro social têm um trabalho difícil. Eles geralmente são responsáveis ​​por aumentar o número de membros, mas, ao mesmo tempo, precisam depender de outros líderes da associação para executar algumas de suas ideias para atrair novos membros. Geralmente, tudo o que você precisa é de um plano para iniciar uma estratégia de crescimento para captação de novos membros. Na minha experiência, existem três maneiras simples de injetar nova energia nos esforços de marketing e comunicação que impulsionam o crescimento da associação.

Use o BOGO Marketing

Escolha uma página do manual de marketing de varejo e ofereça um acordo de BOGO (buy one e, get one) “compre um, leve outro de graça” COLO em português.

Ao organizar um evento de baixo custo, seja um seminário on-line ou uma reunião presencial, considere permitir que os membros se registrem com um convidado gratuitamente ou a um preço muito baixo. Essa é uma ótima tática de recrutamento,
porque incentiva os membros a trazer um colega ou amigo para que um ingresso gratuito não seja desperdiçado.

Os membros atuais são seus melhores embaixadores e instruirão seus possíveis convidados sobre sua associação quando eles estenderem o convite. Mesmo que o cliente em potencial não possa comparecer, sua organização se beneficia com publicidade boca a boca gratuita.

Frequentemente, as primeiras pessoas que os membros pensam em convidar são ex-associados; portanto, essa tática também é uma ótima oportunidade para trazer de volta os membros que saíram da associação.

Quando você oferece uma oferta do BOGO/LOGO, colete os endereços de e-mail dos convidados, além dos endereços dos membros no seu formulário de registro on-line. Os convidados podem ser adicionados ao seu banco de dados de possíveis clientes e você pode enviá-los por e-mail posteriormente com informações de acompanhamento, como: um link para a apresentação; um código de desconto para associação uma lista dos próximos eventos que eles também podem querer participar oportunidades voluntárias uma lista dos principais benefícios exclusivos para membros.

Realizar e compartilhar pesquisas no setor

Um dos eventos mais populares realizados pela Freelance Austin, uma associação de freelancers em Austin, Texas, é um painel de discussão onde são revelados os resultados de sua pesquisa salarial.

Ao iniciar a pesquisa, a organização solicita que seus membros e aqueles em sua lista de possíveis clientes ajudem a aumentar a precisão da pesquisa, encaminhando o link da pesquisa para o maior número possível de freelancers locais. Isso torna viral o email e as postagens sociais sobre a pesquisa, porque todos se beneficiam de um conjunto mais amplo de dados. A pesquisa menciona o evento em que os resultados serão revelados. Tanto a pesquisa quanto o evento oferecem novas oportunidades para alcançar aqueles que talvez nunca tenham ouvido falar sobre a organização antes.

Algumas organizações são generosas com o acesso de não-membros, mas há uma linha tênue entre dar aos membros em potencial uma amostra da associação e oferecer muitos dos benefícios e serviços valiosos da associação. Considere se sua organização está em posição de coletar informações que os membros e possíveis clientes considerariam extremamente valiosas. Se você realizar uma pesquisa, todas as partes do processo serão uma oportunidade de comercializar a associação. Veja como:
O convite da pesquisa enviado por e-mail pode promover a associação e o evento em que os resultados serão revelados. A página e o email da pesquisa de agradecimento podem incluir uma mensagem de marketing de associação e outra menção ao próximo evento. Um breve discurso de adesão pode ser incluído no início do evento. O email pós-evento pode incluir um link para os resultados da pesquisa e o conteúdo semelhante ao email de acompanhamento do evento BOGO (oferecendo associação
com desconto e menção de benefícios somente para membros).

Manter muitos recursos exclusivos para membros

Algumas organizações são generosas com o acesso de não-membros, mas há uma linha tênue entre dar aos membros em potencial uma amostra da associação e oferecer muitos dos benefícios e serviços valiosos da associação. Certifique-se de que alguns dos seus melhores recursos estejam disponíveis apenas para membros ou estejam acessíveis aos membros com desconto.

Aqui estão alguns exemplos de onde usar essa abordagem:
Cada ingresso para o evento deve ter preços com desconto para membros versus não membros. Mesmo que a diferença de preço não seja grande, ela reforça o valor da associação.

Não custa nada permitir que os membros se inscrevam primeiro em eventos altamente assistidos ou lhes dê a primeira oportunidade de levantar a mão para papéis voluntários cobiçados. Alguns eventos, como pequenas sessões de almoço e aprendizado com especialistas do setor, podem ser limitados apenas aos membros. Convide os membros a servir em grupos de interesse especial (SIGs) relevantes. Restrinja o acesso a um diretório online ou portal da comunidade. Forneça programas exclusivos para membros, como orientação de colegas ou uma série de podcasts especializados. Você também pode gerar um boletim por email – mas também existem outras alternativas mais fáceis. Não se esqueça de informar aos não membros o que estão faltando. Tente estas táticas: Em todos os eventos em que não-membros estiverem presentes, faça um esforço de associação que mencione os benefícios exclusivos para membros.

ASSOCIATION NOW – por SOPHIA CONFORTI 9 DE OUTUBRO DE 2019

Os recursos da sua associação não são a única maneira de fornecer valor
aos membros. Além disso: desenvolva uma "mentalidade de força" para
aumentar o moral da equipe.

Por que os membros ingressam em uma associação e o que os faz renovar?
Tudo se resume a valor.

Obviamente, a principal maneira pela qual sua associação agrega valor é
através dos benefícios dos membros. Mas também existem maneiras menos
concretas de fazer isso, que não estão descritas no manual do membro. Por
exemplo, conectar membros que têm interesses semelhantes, diz Callie
Walker no blog MemberClicks.

“Você deve continuar a oferecer as muitas oportunidades de networking
que oferece, mas dê um passo adiante apresentando seus membros a outras
pessoas quando isso fizer sentido”, diz ela. "Por exemplo, digamos que você
esteja no meio de sua conferência anual e conversando com alguém que
está estudando para um exame de certificação. Se você conhece alguém que
passou recentemente no exame, conecte esses dois. ”

Outra idéia: aproveite as oportunidades educacionais relacionadas a soft
skills para complementar os programas de aprendizado específicos do
setor.

"Enquanto a maioria das pessoas provavelmente está envolvida na sua
organização para aprimorar suas habilidades, nunca é demais ajudá-las a
aprimorar essas habilidades", diz Walker.

Mantenha seu queixo erguido
Sua escolha de mentalidade está ajudando ou prejudicando você?
…Em todas as situações, você tem a opção de escolher uma mentalidade
que o faça sentir-se poderoso ou fraco

Tendo um dia ruim? Sua mentalidade pode ser a culpada.
"Geralmente, há uma ampla variedade de perspectivas e observações
verdadeiras que você pode fazer sobre as coisas que acontecem com você",
diz Rebecca Tiffany no Association Chat. "Uma versão da história que você
conta a si mesmo sobre uma situação pode esmagá-lo com a depressão e
imobilizá-lo da produtividade … Mas também há uma maneira leve e fácil
de perceber o mesmo evento exato".
Quando os líderes cultivam essa "mentalidade de força", como Tiffany
chama, eles aumentam o moral não apenas para si mesmos, mas também
para sua equipe.
“Quando toda a sua equipe olha para os problemas que você enfrenta com
fé de que eles podem lidar com tudo e que confiam um no outro para
realizar um trabalho brilhante e impactante, a mágica real começa a
acontecer”, diz Tiffany.

Excesso de burocracia continua a minar relação entre o Governo e a classe
empresarial e está no topo das preocupações.
QUINGILA HEBO /ANGOLA /
31 JUL 2019 / 11:14 H.

Leia na íntegra aqui!

Street associations across the county will celebrate two successful years of operation on Thursday July 4.

Leia na íntegra aqui!

Find out why Political Organizations, Unions And Associations Market is thriving worldwide by Top key players like Southern Baptist churches, Democratic Party, Republican Party, G8 Education, The Salvation Army.

Confia aqui!

Por DONNA DIMAGGIO BERGER / ESPECIAL PARA O SUN SENTINEL / 29 DE MAIO DE 2019

Vozes levantadas, rostos avermelhados e gestos furiosos. Você pode pensar que está assistindo a uma audiência do Congresso no C-SPAN, mas você está na reunião do conselho da sua comunidade. A erosão da civilidade em nossa sociedade começou a se manifestar em comunidades residenciais privadas. Isso acontece de várias formas, desde a grosseria e o comportamento disruptivo nas reuniões, até comportamentos mais perigosos e crescentes. Embora seja impossível legislar a civilidade, a proximidade de uma moradia multifamiliar ou de uma comunidade com comodidades compartilhadas aumenta o impacto desses comportamentos e cria uma miríade de questões jurídicas e desafios operacionais para os conselhos de voluntários e seus gerentes. Talvez a questão jurídica mais difícil seja a determinação de quando a falta de civilidade requer ação na forma de regulamentação, execução ou, em circunstâncias notórias, medidas adicionais de segurança. Detalhes Os conselhos consideram que a qualidade de vida e a capacidade de conduzir negócios diminuem, uma vez que o tempo e os recursos são cada vez mais dedicados às interações pessoais entre residentes e funcionários, em vez do funcionamento da comunidade.

Donna DiMaggio Berger é Especialista Certificado em Condomínio e Lei de Desenvolvimento Planejado, é Acionista do escritório de advocacia Becker e atua como Diretora Executiva do Lobby de Liderança da Associação Comunitária. – (Folheto)

É difícil atrair e reter bons funcionários e contratados e, mais importante, ninguém vai querer servir no conselho ou em um comitê.

Dada a obrigação da associação de proteger a pessoa e a propriedade dos residentes, há um ponto em que é necessária uma ação reguladora e de execução. O que uma diretoria voluntária pode fazer?

  1. Realize uma reunião businesslike. Quanto mais organizados e profissionais forem os membros do conselho, menos oportunidade de interrupção.
  2. Peça aos membros do seu conselho que estabeleçam o padrão de civilidade. Algumas comunidades até exigem que os membros do conselho assinem e sigam um código de conduta, a fim de dar o exemplo e o tom apropriados para a comunidade. A maioria das associações tem estatutos que são décadas de idade. Nos últimos anos, atualizei inúmeros conjuntos de documentos para fornecer padrões operacionais e de comunicação para diretores e proprietários.
  3. Adotar e fazer cumprir as regras do Conselho com relação à maneira pela qual os residentes tratam uns aos outros, aos funcionários e aos contratados da propriedade. Embora isso seja subjetivo, a maioria de nós reconhece um comportamento realmente inaceitável quando o vemos.
  4. Opere com transparência e solicite informações da comunidade. Algumas comunidades fraturam por causa de um senso de sigilo e algumas fraturas por causa de diferenças geracionais na abordagem de manutenção e melhoria das instalações. É improvável que todos os proprietários concordem que certos projetos sejam necessários ou que as reservas sejam totalmente financiadas anualmente, mas os conselhos são eleitos para tomar decisões difíceis, não apenas as mais populares.

Fóruns que abordam esses problemas e enviam uma mensagem de que o comportamento incivil não é tolerado farão um serviço para suas comunidades.

Ao contrário da audiência do C-SPAN que você pode desativar, a discórdia em uma associação comunitária não pode ser interrompida na sua porta da frente. Os moradores das associações comunitárias devem perceber que “morar juntos” exige um nível de civilidade e respeito que esperamos que flua para cima em algum momento.

O Sul Informação entrevistou Sofia Colares Alves, chefe da Representação da Comissão Europeia em Portugal.

Saiba mais AQUI!

 

POR SOPHIA CONFORTI – 10/05/2019 – ASSOCIATIONS NOW
O envolvimento dos membros pode ser amplo e o cálculo do sucesso pode ser bem complicado. Aqui está uma fórmula que pode identificar o retorno do engajamento. Além disso: Uma maneira interessante de fazer seu palestrante principal se sentir mais especial. Como profissional da associação, você conhece os assuntos de envolvimento dos membros. Mas o que realmente significa engajamento – e como você mede isso? Maneesha Manges escreve no blog HighRoad Solution que engajamento é geralmente definido como a conexão que um membro sente a uma organização e geralmente é medido através de visitas ao website, participação em eventos, interação com recursos educacionais, e assim por diante.”Mas ainda assim, esses números só nos dão um guia aproximado do que está acontecendo em nossa associação”, diz Manges.

“Crucialmente, isso não nos diz se estamos gastando dinheiro nos lugares certos ou se precisamos investir nossos recursos em outro lugar.” Uma métrica que pode fornecer informações sobre o valor em dólar do envolvimento: retorno sobre o envolvimento (ROE). Embora possa ser complicado medir com precisão, Manges diz que encontrar o ROE se resume a três etapas:
1. Apontar toda a renda relacionada ao engajamento. Isso inclui taxas de associação, taxas de eventos e contribuições voluntárias.

2. Identifique todos os custos relacionados ao engajamento. Quanto custa produzir programação ou eventos, incluindo pessoal e esforços de marketing?

3. Calcule o ROE. Uma vez que você tenha os dois números, subtraia o custo da renda e multiplique por 100. O que você obterá é sua porcentagem de ROE.
“O engajamento dos membros sempre será um pouco vago porque, em última análise, é sobre emoção”, diz Manges. “Para realmente entender o envolvimento, você precisará de um feedback qualitativo, como pesquisas e entrevistas com membros. No entanto, olhar para dados financeiros quantitativos lhe dará uma boa visão geral sobre se você está acertando as coisas ou se precisa repensar sua estratégia. ”

Association Management Software Market Industry Is Thriving Worldwide | Cvent, TOPS Software, OlaTech Corporation, Bitrix, Raklet, Instinctive Systems, Tendenci, Personify360, Aptify Corporation

Leia na íntegra AQUI!

 

Desde 1973,   Instituto das Associações Comunitárias  (CAI) tem sido o principal fornecedor de recursos e informações para proprietários de residências, líderes de conselho voluntários, gerentes profissionais e profissionais de negócios em 344.500 associações de proprietários residenciais, condomínios e cooperativas nos Estados Unidos e milhões de comunidades em todo o mundo. Com mais de 40.000 membros, a CAI trabalha em parceria com 36 comitês de ação legislativa e 64 filiações afiliadas nos EUA, Canadá, Emirados Árabes Unidos e África do Sul, bem como com líderes de habitação em vários outros países, incluindo Austrália, Espanha e Arábia Saudita. Arábia e no Reino Unido. Uma organização global sem fins lucrativos 501 (c) (6), a CAI é a principal autoridade em gestão, governança, educação e defesa de associações comunitárias. Nossa missão é inspirar profissionalismo, liderança eficaz, e cidadania responsável – ideais refletidos em associações comunitárias que são lugares preferidos para chamar de lar. Visite-nos em  www.caionline.org   e siga-nos no Twitter e no Facebook @caisocial.

Teve lugar na passada quinta-feira, mais um encontro do Grupo dos Amigos de Lagos, na Biblioteca Municipal Dr. Júlio Dantas, onde se refletiu sobre a situação atual do movimento associativo em Lagos.

Leia na íntegra aqui!

Veja aqui!

Dois líderes comunitários defenderam hoje que as associações portuguesas continuam a ser importantes na promoção da cultura portuguesa no Canadá, mas, cada vez mais, “necessitam de se voltar para os mais jovens”.

Saiba mais aqui!

 

Confira aqui!

As associações de cariz social estão, hoje, confrontadas com importantes responsabilidades e desafios, num quadro de crescente complexidade. Procuram respostas para problemas sociais complexos.

Saiba mais AQUI!

Confira AQUI!

Veja aqui!

Oferecer uma categoria de associação transitória pode ser uma maneira de manter os membros durante um período de dificuldades.

Leia na íntegra aqui!

Quando novos membros chegam, você pode enviar uma carta de boas-vindas ou um pacote de informações. Mas uma associação vai um passo além quando reconhece novos membros em plataformas de mídia social.

Como fazer isso? Quando uma empresa se junta aos Empreiteiros de Ar Condicionado da América, eles recebem materiais tradicionais de integração de membros, incluindo um pacote de informações enviado pelo correio, um e-mail de boas-vindas e uma chamada de check-in. Mas Karina Romero, gerente de atendimento ao cliente da ACCA, leva o processo de integração um passo adiante, marcando novos membros no Facebook e no Twitter. “Queremos reconhecer nossos novos membros por meio de mídias sociais, porque é uma ferramenta fácil e de baixo custo ou sem custo”, diz ela. “Cria tráfego para suas páginas de mídia social e, acima de tudo, cria reconhecimento de marca.”

Veja como é um tweet de boas vindas:

ACCA@accausa

We’re happy to welcome our new member contractor, Cooper Mechanical, Inc. @CooperMech in Ottsville, PA ! We thank you for your support. We look forward to working with you. #accamovement #hvac #accanewmember
2
12:45 – 13 de nov de 2018

Por que isso funciona? Receber um novo membro nas mídias sociais causa um impacto positivo na empresa durante a experiência de integração. Enquanto isso, Romero acompanha as métricas de mídia social, que informam se o novo membro provavelmente se envolverá online. “Eu gosto de rever impressões de tweets ou outros comentários breves de outros, e parece positivo”, diz ela. Qual é o bônus? As boas-vindas sociais da ACCA criam um canal para comunicação bidirecional: os membros podem fazer perguntas ou postar comentários sobre sua experiência como membros até o momento.

TIM EBNER
Tim Ebner é editor sênior da Associations Now. Ele cobre questões de associação, liderança e governança. Envie-lhe emails com ideias de histórias ou dicas de notícias.

CCOO – CONFEDERAÇÃO SINDICAL DE COMISSIONES OBRERAS, a maior associação de empregados da Espanha, ha dado comienzo a una nueva edición del curso “Asesoramiento Sindical sobre Formación en la Empresa”.

Leia na íntegra aqui!

“O envolvimento é a força vital de qualquer organização”
“O envolvimento é a força vital de qualquer organização”

Leia na íntegra aqui!

Sob as regras federais recém-aprovadas, dois grupos de pequenas empresas em Michigan estão oferecendo a seus membros a opção de se unirem para comprar produtos de seguro de saúde do tipo grande grupo e potencialmente receber taxas de prêmio menores para seus funcionários sob “planos de saúde de associação”.

Confira aqui!

A Associação dos Industriais da Construção Civil e Obras Públicas (AICCOPN) e a Associação de Empresas de Construção e Obras Públicas e Serviços (AECOPS) vão unir-se, tendo dado, esta quinta-feira (dia 20), “um primeiro passo no sentido de evoluírem para um modelo de organização associativo assente numa estrutura unitária e ajustada às necessidades do setor, das empresas e do associativismo em Portugal”.

A matéria completa você encontra clicando aqui.

A new website from the trade association is designed to encourage workers in the industry to serve as “ambassadors.”

Saiba mais clicando aqui!

A Confederação das Associações Econômicas de Moçambique (CTA), maior associação patronal do país, e a Active Capital, uma instituição financeira dos Emirados Árabes Unidos (EAU), lançaram hoje um fundo para o financiamento de pequenas e médias empresas moçambicanas.

Leia na íntegra aqui.

Veja como fazer associativismo clicando aqui!

 

Primeiro evento de seu tipo na região focado na construção de uma comunidade para associações.

Confira como foi o evento aqui!

Por Octavio Peralta 24 de janeiro de 2018
Conselho das Associações e Associações de Companhias Filipinas
(PCAAE)

Para saber mais Clique aqui

“Apesar da tradição associativista de alguns setores, não é exagero afirmar que o sindicalismo brasileiro carece de maturidade. Essa constatação emerge com a reforma da legislação trabalhista aprovada neste ano que, entre outras mudanças, tornou facultativo – e não mais obrigatório – o pagamento do imposto sindical, também chamado de contribuição sindical.”
Diário Catarinense 30/12/17

Clique aqui para saber mais!