4 FORMAS DE ASSOCIAÇÕES RESILIENTES SOBREVIVEREM E PRESSIONAREM NA PANDEMIA

O que as associações resilientes fizeram para priorizar os associados, fortalecer sua missão e permanecer bem-sucedidas durante a pandemia COVID-19? Personify conversou com líderes de toda a indústria para aprender mais.

Como todas as empresas e organizações, as associações foram duramente atingidas pelos devastadores efeitos físicos, mentais e financeiros da pandemia do coronavírus. Das maiores às menores associações, o bloqueio colocava os membros da equipe em lutas de última hora para salvar conferências, para comunicar aos membros as melhores práticas em constante mudança – em suma, para encontrar soluções rápidas para manter suas organizações vivas.

Durante esse período sem precedentes, a Personify, fornecedora líder de tecnologia para associações, conversou com várias associações do setor para entender melhor quais estratégias e táticas permitiram que as associações ágeis não apenas sobrevivessem a esse período sombrio da história, mas também prosperassem. Aqui estão alguns dos traços comuns de associações resilientes.

 

EMPATIA PELOS MEMBROS

Associações bem-sucedidas não veem seus associados simplesmente como fontes de receita, elas os veem como pessoas. A preocupação genuína e a empatia demonstradas pelas associações estimulam a gratidão de seus membros, o que, de acordo com a Harvard Business Review, é a forma mais poderosa de criar lealdade duradoura.

Caso em questão: a American Health Information Management Association elaborou um plano para apoiar os novos membros assim que a pandemia surgisse. Vicky Betzig, Diretora de Reuniões da AHIMA explicou: “Tivemos muitas pessoas em nossa profissão que sofreram reduções salariais ou perderam totalmente os empregos. Então, na associação, tem havido muita defesa em torno de ajudá-los a encontrar recursos para empregos ”.

Betzig explicou que o AHIMA ofereceu “descontos por privações” para novas adesões e renovações, e também ajudou membros desempregados a transferir suas habilidades para outros meios de trabalho, como rastreamento de contato.

A American Optometric Association adotou uma abordagem semelhante. “Quando COVID-19 começou a varrer os Estados Unidos, soubemos imediatamente que os médicos que defendemos sofreriam um forte impacto”, explica Adam Reider, gerente de treinamento e suporte técnico. “Durante a noite, eles passaram de ver seus pacientes regularmente para cenários ‘apenas de emergência’.” O AOA entrou em ação com webinars instrucionais para seus membros e não membros, para ajudá-los a navegar em tudo, desde a telemedicina até os aplicativos de empréstimo PPP. “Não achamos apropriado lançar um firewall gigante”, diz Reider sobre esse conteúdo. “Queremos ser capazes de olhar para trás depois que esta crise passar e saber que realmente defendemos esta profissão.”

 

FOCO RENOVADO NA MISSÃO

 “Em tempos de desafios, não é incomum voltar aos elementos fundamentais que servem como pilares básicos de valor para seus associados”, disse Teresa Zimmerman, vice-presidente de marketing da Personify. “Os membros procuram suas associações para conectá-los a uma rede de pessoas e oportunidades que os ajudem a avançar em sua disciplina, impulsionar seus setores, expandir seu alcance, apoiar sua comunidade e criar um impacto duradouro.”

Organizações como a Association for Supervision and Curriculum Development descobriram que a pandemia reenergizou e reorientou seu senso de propósito. Citando a disparidade que os membros relataram na qualidade da aprendizagem remota com base nas condições socioeconômicas dos distritos, o CIO da ASCD, Fara Francis descreveu uma nova urgência dentro da organização para ajudar.

“Estamos trabalhando incansavelmente para construir comunidades que possam se conectar, defender e compartilhar recursos uns com os outros para garantir que nenhum aluno seja abandonado durante esse tempo.”

 

TOMADA DE DECISÕES ORIENTADA POR DADOS

“Muito poucos tinham um manual pronto para lidar com uma pandemia”, disse Zimmerman. “Trabalhamos em estreita colaboração com nossos clientes para ajudá-los a entender melhor o que seus membros precisavam para que pudessem alinhar experiências e conexões por meio de sua pilha de tecnologia e serem bem-sucedidos e relevantes para seus membros neste novo mundo digital em primeiro lugar.”

“Um erro que vi muitas vezes é que uma associação desenvolve produtos, serviços e experiências no vácuo e, em seguida, tenta convencer as pessoas de que precisam comprá-los”, disse Dennis Sadler, Diretor Executivo Adjunto de Operações da Associação Nacional de diretores secundários.

Angel Baltimore, vice-presidente de estratégia digital e comércio eletrônico da American Pharmacists Association, concorda. Em vez de adivinhar o que seus membros precisavam nos primeiros dias da pandemia, ela analisou os dados coletados por seu AMS, Personify360.

“Somos capazes de segmentar e analisar a análise dos participantes da sessão para ver coisas como quem são membros, quem não são membros, quem são clientes habituais.” Isso, diz Baltimore, permitiu que a APhA concentrasse suas energias nos produtos e serviços que seus membros mais desejavam e nos usuários de alto valor que deveriam ter como alvo com seu marketing.

 

Fonte: https://associationsnow.com/2020/09/4-ways-resilient-associations-have-survived-and-thrived-in-the-pandemic/

Fonte: Publicado por David M. Bendoff | 28/03/2020 07:00

P: O conselho de administração de nossa associação pode adiar a reunião anual de seus proprietários devido à pandemia do COVID-19?
R: O vírus que causa o COVID-19 foi declarado uma emergência nacional pelo presidente dos Estados Unidos, enquanto o governador de Illinois declarou um estado de emergência. Os Centros de Controle de Doenças estabeleceram uma política de “distanciamento social”, pela qual todos devemos manter uma distância de pelo menos 6 pés um do outro para impedir a propagação do vírus.

Importante, a orientação do CDC agora declara que a maioria das reuniões de 10 ou mais pessoas deve ser cancelada! Isso tudo dá uma justificativa ampla aos conselhos de associação para adiar uma próxima reunião anual dos proprietários pela duração desta pandemia ou até que as orientações do CDC sobre reuniões de grupos sejam levantadas.

Dito isto, quando permitido, os proprietários podem ser incentivados a votar nas eleições dos membros do conselho por procuradores emitidos para uma única pessoa, ou a votar por cédula pelo correio ou eletronicamente (e-mail) se a associação tiver adotado regras apropriadas para permitir tal votação. Essas sugestões reduzirão o número de pessoas fisicamente próximas umas das outras em uma reunião anual de proprietários.

Cédulas por correio / votação eletrônica somente serão permitidas se regras apropriadas tiverem sido adotadas; caso contrário, os proprietários precisarão votar pessoalmente ou por procuração.

 

P: O conselho da nossa associação precisa se reunir; no entanto, estamos preocupados em nos reunir pessoalmente, dada a situação do COVID-19. Existe uma alternativa para uma reunião do conselho “pessoalmente”?

R: “Distanciamento social” é uma política pública com a ordem executiva do governador Pritzker em relação às reuniões do governo (não aplicável a associações, exceto por analogia). Em vista disso, o conselho deve considerar a realização de suas reuniões para realizar negócios da associação por meio de teleconferências / vídeo ou outros meios tecnológicos aceitáveis, conforme permitido por lei, pelo qual todas as pessoas (membros do conselho) que participam da reunião podem se comunicar. , permitindo simultaneamente que os proprietários ouçam / observem, sem se reunir como um grupo.

Existem serviços que podem fornecer números de chamada em conferência discada para esse fim. Normalmente, é preciso haver um local físico para uma reunião do conselho para que os proprietários possam participar. No entanto, desde que os proprietários possam “participar” de qualquer parte aberta de uma reunião do conselho realizada por meio de teleconferências / vídeo ou outros meios tecnológicos aceitáveis, por meio dessa tecnologia, essa abordagem parece ser um equilíbrio razoável entre o que pode ser a letra da lei e da atual política pública de “distanciamento social”.

Existem vários desses serviços de teleconferência identificados por uma rápida pesquisa no Google. Alguns desses serviços permitem que os proprietários ouçam os membros do conselho, mas eles são “silenciados”, a menos e até que o conselho “mude” os proprietários.

Ainda é necessário aviso dessas reuniões.

 

P: Existe alguma coisa que o conselho da nossa associação possa fazer para reduzir o número de reuniões do conselho durante a situação do COVID-19?

R: Para lidar com as decisões do dia-a-dia, o conselho pode adotar uma resolução (em uma reunião do conselho) delegando autoridade de tomada de decisão ao presidente do conselho (que pode consultar os membros individuais

do conselho), e isso pode ser por um período finito. período de tempo. Muitos municípios de Chicago adotaram essa abordagem para evitar reuniões públicas durante essa pandemia.

Muitas associações adotaram esse tipo de resolução após a decisão da Palm. Isso permitiria ao presidente do conselho de associação (ou qualquer outra pessoa autorizada na resolução) tomar essas decisões diárias sem uma reunião (e relatar as decisões ao conselho).

 

David M. Bendoff é advogado da Kovitz Shifrin Nesbit nos subúrbios de Chicago.

Dezenas de participantes, muitas perguntas, elogios, demonstram que valeu a pena o esforço para a realização da “live”, que escolhemos bem o tema e os debatedores.

Luiz Cordeiro, da Associação Vidas de Aracruz/ES, que apoia hospitais filantrópicos, Evelyn Neto presidente da AMBPF Associação dos Moradores de Balneário Ponta da Fruta em Vila Velha/ES e Léo de Castro, atual presidente da FINDES Federação das Indústrias do Estado do ES, associação de empreendedores, falaram sobre o tema “O papel das associações nas pandemias” ressaltando a importância do associativismo, da ação coletiva nestas ocasiões para reduzir as perdas de vidas, o sofrimento das famílias e o fechamento de empresas empobrecendo a população. Contaram as valorosas ações que estão desenvolvendo com os seus associados motivando as associações de todo o Brasil a continuarem se empenhando em benefício dos seus associados e da sociedade como um todo. O evento pode ser visto no YouTube, no canal da EA Escola de Associativismo com o mesmo título da “live”.

Cada Minuto 28/03/2020  Maceió

A proposta apresentada pela Associação Comercial ao governo do estado foi de que  as vendas no comércio varejista sejam restabelecidas gradativamente, conforme as orientações dadas pelas entidades médicas e a Organização Mundial de Saúde (OMS) diante do monitoramento da propagação do novo coronavírus.

A data sugerida foi a partir do dia 07 de abril. “O que somente poderá   ser  concebido    mediante a     confirmação    de   controle   da      pandemia, evidenciada pelos indicadores que continuarão sendo observados  nos  dias  que  seguem.  E  ainda,  que  tal  retorno  se  dê  mediante  critérios e  regras  a serem estabelecidos     pelas    referidas   autoridades,  a exemplo a horário reduzida e observações irrestrita às medidas de higiene e prevenção ao combate da pandemia”, explica trecho da nota emitida pela entidade.

Todos os setores econômicos começaram a pressionar o governo do estado diante da possibilidade da renovação do decreto de emergência, que determina o isolamento social. Com o comércio fechado, os empresários mostram um somatório de prejuízos e a queda na arrecadação.

A Associação Comercial reafirmou que segue diálogo com o governo e prefeitura para tentar uma melhor solução. “A Associação Comercial reafirma apoio as medidas tomas pelos Governos Estadual e Municipal, posicionando-se contrariamente a manifestações, aglomerações, carreatas e similares que, inclusive, neste momento, contrariem as recomendações da OMS e do Ministério da Saúde”, finalizou.